Designer sul-coreano transforma máscaras descartáveis em bancos

Além da emergência de saúde pública causada pela pandemia do coronavírus, um grande problema já conhecido tomou novas proporções: a poluição causada pelo lixo plástico. Estima-se que, no mundo todo, cerca de 129 bilhões de máscaras faciais e 65 bilhões de luvas sejam produzidas mensalmente. Esses itens possuem plástico em sua composição e, como não estamos falando de um material biodegradável, todos esses equipamentos ficarão em nossos aterros e oceanos por centenas de anos.

Pensando nisso, o designer sul-coreano Haneul Kim decidiu chamar a atenção para o tamanho do problema do lixo plástico, além de apresentar formas criativas de reciclar os EPIs. Em seu último projeto, ele reuniu milhares de máscaras faciais descartáveis ​​e as derreteu. O resultado foi um plástico duro e durável, que Kim moldou para formar nove bancos. Ele então tingiu os bancos de rosa, branco, azul e vários padrões multicoloridos.

Há anos, organizações têm chamado a atenção do mundo todo para o problema do lixo plástico. Segundo a Ocean Conservacy, 150 milhões de toneladas de plástico estão nos oceanos, e esse lixo costuma ser confundido com comida por animais marinhos. Mais de 300 milhões de toneladas de plástico são produzidas anualmente, metade das quais para produtos descartáveis. Então, além de entupir aterros e oceanos, o plástico se quebra em partículas microscópicas que podem acabar em nosso fluxo de água. “Os microplásticos ameaçam a vida animal e até a vida humana”, diz Kim.

E por que não simplesmente reciclamos todo esse lixo? Bem, existe uma grande quantidade de plástico novo no mercado no formato de máscaras descartáveis, luvas, aventais, protetores faciais e muito mais. A maioria desses produtos não pode ser reciclada porque os sistemas comuns de reciclagem não estão equipados para processá-los, o que pode causar até mesmo danos graves aos equipamentos de reciclagem.

Para Kim, não devemos desistir. Em vez disso, devemos trabalhar para encontrar formas criativas de coletar esses materiais e transformá-los em para outras coisas, dar uma nova utilidade ao que antes seria descartado.

Kim diz que espera que esses itens convidem as empresas e designers a pensar de forma criativa sobre como lidar com o problema do aumento do lixo plástico relacionado à pandemia do coronavírus. Por enquanto, o projeto ainda é apenas conceitual e inspiracional, e Kim não tem planos de comercializá-lo.

Para saber mais, confira o vídeo abaixo (legendas em português disponíveis).

Assine nossa newsletter!

Para conferir em primeira mão os conteúdos do InovaSocial em seu e-mail, assine agora nossa newsletter.
Insira o seu e-mail