Suvinil torna todo seu ambiente digital acessível e inclusivo

Suvinil torna todo seu ambiente digital acessível e inclusivo

O acesso ao ambiente digital tem se fortalecido com o objetivo de tornar a internet um espaço mais inclusivo, que possa ser entendido e compartilhado com autonomia integral do início ao fim da navegação, por diversos perfis de consumidores. Em um movimento de reformulação de antigos padrões, a Suvinil anunciou novas ações voltadas para a acessibilidade e a inclusão, adaptando-se com ferramentas facilitadoras em seu site e redes sociais.

Para contribuir com esse caminho, a marca tem dado voz a pessoas que vivenciam a necessidade da inclusão no dia a dia – convidando dois criadores de conteúdo parceiros, Isa Meirelles e Gabriel Isaac, para produção de conteúdos explicativos sobre um tema tão presente nas pautas de nossa sociedade.

De acordo com dados levantados pelo o Movimento Web para Todos e a plataforma de dados BigDataCorp, em 2020, apenas 0,74% dos sites brasileiros são 100% acessíveis, o que cria uma barreira na comunicação para pessoas com algum tipo de deficiência. Pensando nisso, a fabricante apresenta ações que chegam ao mercado para colaborar com acesso e inclusão de todos e todas e, mais do que isso, convida marcas e empresas de diferentes setores para que juntos possam seguir nesta reformulação.

Dentre as modificações implantadas pela empresa, está uma máscara de acessibilidade no site e loja online para facilitar a navegação para quem tem algum tipo de deficiência visual; a marca também passou a realizar descrição de imagens, vídeo e texto em site e redes sociais, dedicadas as pessoas com deficiência visual, além de legendagem de vídeos criados para feed e stories do Instagram – que também agora conta com conteúdos que abordam a importância da acessibilidade digital.

Além de tornar o site, a loja online e as redes sociais da marca mais acessíveis, a Suvinil também lançou o podcast “Falando em Cores” com conteúdo 100% acessível, levando conversas do Spotify para o Youtube em formato com libras e legendas, facilitando a imersão dos ouvintes de diferentes perfis.

A falta de acessibilidade digital para a web ficou muito mais evidente durante a pandemia, quando tudo passou a ser feito pela internet – aplicativos, sites, redes sociais e outras plataformas“, conta a comunicadora Isa Meirelles, que tem baixa visão causada por um glaucoma congênito. Ela explica algumas opções simples que a ajudam a navegar nas redes: “É importante conseguir aumentar o tamanho da fonte, que normalmente é muito pequeno para quem tem deficiências visuais. O contraste da cor também é fundamental para eu conseguir entender o conteúdo e enxergar todos os elementos das páginas“.

Gabriel Isaac, designer gráfico e criador de conteúdo dedicado à comunidade surda, batizou a marca ao criar um sinal em libras para a Suvinil, por meio de um movimento com as mãos que faz referência a um leque de cores se abrindo e a pintura de uma parede. “Os surdos batizam com um sinal próprio cada pessoa usando uma mania ou uma característica, algo que identifique que a pessoa começou a fazer parte da comunidade surda”, explica. “O sentido que temos mais aguçado é a visão, porque é assim que nos conectamos com o mundo ao nosso redor e acessamos sentimentos de calma, energia, conforto ou criatividade, e as cores têm um significado bem forte por trás delas que podem ajudar bastante.”

Para conhecer o podcast “Falando em Cores”, confira os players a seguir.

Podcast Falando em Cores | Ep.1: Cores e tendências: Suvinil + @lottlott + @anakreutzer e @ninalikesPodcast Falando em Cores | Ep.1: Cores e tendências: Suvinil + @lottlott + @anakreutzer e @ninalikes

__

Créditos: Imagem Destaque – kitzcorner/Shutterstock