Robustnest: A incubadora portátil para combater a mortalidade neonatal

Robustnest: A incubadora portátil para combater a mortalidade neonatal

Segundo a Fundação Oswaldo Cruz, para cada 1º C de queda da temperatura corporal do recém-nascido há um aumento de 28% na mortalidade neonatal. A hipotermia é algo frequente em crianças menores de 12 meses que sofrem de desnutrição grave, e, dentro de um contexto de áreas rurais e sem acesso a uma fonte de energia estável e confiável, essa é a causa da morte de milhões de recém-nascidos durante seu primeiro mês de vida.

As incubadoras usadas em países industrializados não atendem às especificações técnicas desse contexto, principalmente porque elas não conseguem produzir calor durante frequentes apagões de energia, nem aguentam condições ambientais como altas taxas de umidade, poeira e temperaturas elevadas.

Pensando em uma solução para este problema, o arquiteto e designer suíço Fabien Roy criou o “Robustnest”: uma solução que assume a forma de uma incubadora de recém-nascidos portátil, adaptada para hospitais regionais. O projeto faz parte do mestrado de Fabien na Universidade de Arte e Design de Lausanne e foi desenvolvido em colaboração com o centro de tecnologia Escola Politécnica Federal de Lausanne e será apresentado em durante a Semana de Design de Milão de 2021, que acontecerá entre os dias 5 e 10 de setembro na Itália.

Fabien criou a “Robustnest” para que ela seja uma incubadora compacta, resistente e (principalmente) acessível. O projeto é adequado para o transporte de pacientes em veículos; resiste a frequentes cortes de energia devido à bateria térmica da Escola Politécnica Federal de Lausanne – o que garante que os recém-nascidos fiquem aquecidos –; e seus componentes podem ser facilmente substituídos localmente.