4 formas de praticar o consumo consciente em casa

Quando falamos sobre consumo consciente, é importante ter em mente que isso não se trata apenas de reduzir o desperdício. Consumir conscientemente é levar em conta todos os processos daquilo que consumimos, do começo ao fim.

Hoje, a forma e a frequência com que consumimos pode até ter mudado, e nosso pensamento precisa mudar também. Para isso, é importante parar, pensar, pesquisar e se organizar, até que essas ações se transformem em um hábito. Confira algumas dicas sobre como praticar o consumo consciente em casa.

1. Cuidado com as “lavagens” do mercado.

Quando você decide comprar algo, é importante levar em consideração a história além do produto ou da campanha publicitária. Se questione e pesquise. Esse produto é realmente sustentável? Por que esta camiseta é tão barata? A marca que fez aquela campanha linda sobre diversidade aplica esses valores dentro do seu escritório?

Greenwashing, Diversitywashing, Pinkwashing, SDG-Washing… No InovaSocial, já produzimos muitos conteúdos sobre os “washings” (as “lavagens” do mercado), que basicamente se resumem a uma prática realizada por algumas empresas, onde o discurso apresentado na divulgação de um produto ou serviço não se reflete nas práticas internas da empresa ou até mesmo no processo de desenvolvimento do produto ou serviço em questão.

A única forma de evitar essas empresas é buscando informação. Leia os rótulos dos produtos que você compra, conheça a história e as práticas das marcas que você consome. O site modefica tem duas publicações muito úteis para quem busca o consumo consciente: em um deles (clique aqui) você pode conhecer e entender os termos mais comuns escritos nas embalagens de alimentos; em outro (clique aqui), você também pode se informar sobre o que significam símbolos específicos em embalagens de cosméticos.

É algo trabalhoso? Sim. Mas, se você busca praticar o consumo consciente, é essencial saber mais sobre o processo e as empresas que desenvolvem os produtos e serviços que você consome.

Para entender melhor a importância desse hábito, recomendamos que você assista à série documental Rotten e ao documentário The True Cost.

2. Atenção à composição e à durabilidade dos produtos

Ler o rótulo e as etiquetas daquilo que você está prestes a comprar também é extremamente importante. O prazo de validade daquele produto que está com um valor promocional permite que todo o produto seja consumido a tempo? Promoções podem passar a sensação de estar economizando dinheiro, mas, caso não seja possível consumir todo o produto antes de sua data de validade, essa “economia” se transforma em desperdício. Isso vale para alimentos, cosméticos, dermocosméticos. etc.

Atente-se também aos materiais que compõem o produto ou sua embalagem. O plástico, por exemplo, está em todo lugar – até mesmo onde você nem imagina. Leia o rótulo e as etiquetas (é lá onde todas as informações que você precisa estão – ou deveriam estar), e mais uma vez: busque informação, pesquise.

3. Aprenda a descartar corretamente as embalagens

Isso deveria ser o básico, mas infelizmente vivemos em um cenário completamente diferente. O Brasil produz cerca de 76 milhões de toneladas de lixo ao ano. Desse montante, 30% tem potencial de reciclagem, isso acontece apenas com 3%.

Higienizar embalagens e separar materiais pode ser um começo, mas para consumir de forma consciente é preciso descartar de forma consciente e, para isso, a informação é (mais uma vez) a chave. Por exemplo, você sabia que nem todos os plásticos são recicláveis? Entender sobre isso é importante não só para o momento do descarte, mas também para considerar possíveis substituições. É interessante perceber que tudo faz parte de um grande ciclo; e só é possível interromper o ciclo de desperdício e poluição começando um novo ciclo completamente diferente e mais sustentável.

4 formas de praticar o consumo consciente em casa
4. Organização para evitar o desperdício de alimentos

Segundo a ONG Banco de Alimentos, cada brasileiro desperdiça mais de meio quilo de alimento por dia. Muitos desses produtos estragam antes de irem para a mesa. Enquanto isso, muitos dos produtos que chegam à mesa, também não são consumidos e vão para o lixo. Para evitar esse tipo de desperdício, é necessário organização e estratégia.

Nada de planilhas muito elaboradas ou horas de pesquisa na internet. Uma simples lista com as refeições da semana (ou da quinzena) já pode ser extremamente útil. Uma pitada de estratégia é sempre bem-vinda: comprar verduras, legumes e frutas em diferentes estágios de amadurecimento pode garantir produtos frescos e em ótimas condições ao longo de muitos dias. Assim, você compra apenas o que vai consumir e no tempo certo de cada alimento, evitando o desperdício de alimentos.

__

Créditos:

Imagem Destaque – Monkey Business Images / Shutterstock

Ilustrações – ivector / Shutterstock

Assine nossa newsletter!

Para conferir em primeira mão os conteúdos do InovaSocial em seu e-mail, assine agora nossa newsletter.
Insira o seu e-mail