Governo de Portugal anuncia selo “Clean & Safe” na luta contra a Covid-19

Apesar do Brasil ainda não ter chego no pico da pandemia de Sars-CoV-2, o novo coronavírus, muito já se discute como será o mundo depois do surto global da doença. E não estamos falando sobre economia (já falamos sobre economia no podcast 52, “A economia pós Covid-19, com Derick Almeida”), mas de cultura e costumes cotidianos. Na China, por exemplo, já não existem mais pacientes internados com a doença, mesmo assim o acesso a parques públicos depende de um QR Code emitido por um aplicativo e que atesta que o usuário é saudável. A tecnologia foi usada constantemente durante a quarentena chinesa e deve virar algo recorrente daqui pra frente.

Em Portugal, empreendimentos turísticos e agências de viagem (empresas que possuem registro junto da Autoridade Turística Nacional) podem solicitar o selo de estabelecimento “Clean & Safe”. O Turismo de Portugal, departamento integrado ao Ministério da Economia e da Transição Digital, criou o selo para distinguir as atividades turísticas que asseguram o cumprimento de requisitos de higiene e limpeza para prevenção e controle da Covid-19 e de outras eventuais infecções; reforçando, assim, a confiança do turista no destino.

O selo “Clean & Safe” — que pode ser solicitado pelas plataformas digitais do governo — tem a validade de um ano, é gratuito e opcional, mas exige a implementação de um protocolo interno que, de acordo com as recomendações da Direção-Geral da Saúde, assegura a higienização necessária para evitar riscos de contágio e garante os procedimentos seguros para o funcionamento das atividades turísticas. Além disso, o governo irá realizar auditorias aleatórias aos estabelecimentos que aderirem à certificação, como forma de fiscalização.

Com esta medida a Autoridade Turística Nacional pretende não apenas transmitir às empresas informação sobre as medidas mínimas necessárias de higiene e limpeza dos estabelecimentos, como também visa promover Portugal como um destino seguro do ponto de vista de cuidados com a propagação do vírus.

A iniciativa portuguesa ainda é novidade, mas muitas outras parecidas devem surgir neste mundo pós Covid-19 e em diversos países. No Brasil ainda estamos longe de pensar em uma solução semelhante, mas uma coisa é certeza, novos costumes irão surgir e nós nos adaptaremos a um novo cotidiano.

Assine nossa newsletter!

Para conferir em primeira mão os conteúdos do InovaSocial em seu e-mail, assine agora nossa newsletter.
Insira o seu e-mail