Masuku One: Uma máscara com filtro biodegradável, feita de material reciclado

Masuku One: Uma máscara com filtro biodegradável, feita de material reciclado

Mais de 90% da população mundial respira um ar com níveis de poluição que ultrapassam os limites determinados pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Diante desse cenário, uma startup britânica criou há 4 anos uma máscara para ajudar a prover ar limpo às pessoas — e de forma confortável e sustentável. Hoje, com a pandemia de coronavírus, essa invenção voltou a ganhar destaque.

Em parceria com a Pentatonic — uma empresa de design e tecnologia especializada em economia circular –, a Masuku criou a Masuku One: uma máscara que possui um sistema de filtração composto por Poli-3-hidroxibutirato, um termoplástico biodegradável – o que permite que ele seja descartado em uma composteira, por exemplo.

A Masuku One é formada por 3 partes: a camada exterior, que envolve o sistema de filtragem, é feita de um tecido composto por materiais 100% reciclados e possui alças ajustáveis; a estrutura interna da Masuku One consiste em um “esqueleto” leve, que fica dentro do tecido da camada exterior e permite que o ar filtrado circule confortavelmente; por fim, o filtro foi desenvolvido do zero pelos designers da empresa e, além de biodegradável, filtra 94% das partículas do ar, o que é equivalente ao padrão de performance da máscara PFF2 (ou FFP2, na Europa).

Embora a pandemia de coronavírus pareça estar mais perto de seu fim do que de seu início, a tendência é de que, no Ocidente, as máscaras sigam sendo usadas de forma individual em um futuro sem pandemia, em caso de doenças respiratórias mais leves transmissíveis (como já é feito em partes da Ásia). Com isso, a busca por opções mais eficientes e sustentáveis, tende a aumentar. Além, claro, da questão da poluição. Em 2020, no mundo todo, mais pessoas morreram devido a causas relacionadas à poluição, do que pelo coronavírus. Um problema que, infelizmente, não é resolvido com distanciamento social ou vacinas.