As TED Talks mais assistidas em 2020

As TED Talks mais assistidas em 2020

Quais ideias, histórias e curiosidades mais chamaram a atenção das pessoas em 2020? O TED preparou uma playlist especial com as 20 TED Talks mais assistidas em 2020 e a boa notícia é que a maior parte dessas palestras possui legendas em português e outros idiomas, tornando esse conteúdo tão rico mais acessível em diversos pontos do mundo. Hoje, confira uma lista com 10 das 20 TED Talks mais assistidas em 2020 e, para conferir a playlist completa no site do TED, clique aqui. (É importante lembrar que algumas dessas apresentações aconteceram antes da pandemia do coronavírus, por isso, será comum encontrar na lista gravações de eventos feitos em auditórios entre 2019 e o início de 2020).

A diferença entre ser “não racista” e ser antirracista

“Não tem isso de ser ‘não racista’”, diz o escritor e historiador Ibram X. Kendi. Nesta conversa essencial, ele define o conceito transformador do antirracismo, nos ajudando a ter mais clareza para reconhecer, assumir responsabilidade e rejeitar o preconceito em nossas políticas públicas, locais de trabalho e crenças pessoais. Aprenda como você pode usar ativamente essa consciência para erradicar a injustiça e a desigualdade no mundo – e substituí-las por amor.

Leitura recomendada: “Como Ser Antirracista”, de Ibram X. Kendi

Para superar desafios, pare de se comparar com os outros

“Quando paramos de nos comparar com os outros, podemos realizar coisas importantes”, diz Dean Furness, atleta cadeirante. Ele compartilha como, depois de perder a mobilidade das pernas em um acidente, descobriu uma nova mentalidade poderosa focada em redefinir sua “média pessoal” e melhorar gradualmente.

Por que não podemos falar sobre menstruação?

“Não devia ser um ato feminista saber como nosso corpo funciona”, afirma a ginecologista e escritora Jen Gunter. Nesta palestra reveladora, ela explica como os tabus em torno da menstruação silenciam, reprimem e levam à disseminação de desinformação e à falta de mecanismos de controle adequados da dor. Pondo um fim à era dos tabus da menstruação, ela dá uma aula clara e extremamente necessária sobre o funcionamento do útero, antes misteriosos.

Por que 1,5 bilhão de pessoas comem com pauzinhos?

A escritora Jennifer 8. Lee explica como os pauzinhos se espalharam do Oriente para o Ocidente e foram projetados para oferecer a mordida perfeita. Esse vídeo faz parte da série “Small Thing Big Idea”, clique aqui para saber mais sobre ela e conferir todos os episódios.

Como funciona o preconceito racial – e como rompê-lo

Nosso cérebro cria categorias para dar sentido ao mundo, reconhecer padrões e tomar decisões rapidamente. Mas essa habilidade organizacional cobra um preço muito alto de nós, na forma do racismo estrutural. Nesta palestra contundente, a psicóloga Jennifer L. Eberhardt explora como nossos preconceitos recaem injustamente sobre pessoas pretas em todos os níveis da sociedade — desde escolas e redes sociais até policiamento e justiça criminal — e discute como a criação de pontos de resistência pode nos ajudar a ativamente interromper e enfrentar esse problema perturbador.

Três segredos das pessoas resilientes

Todo mundo passa por perdas, mas como lidar com os momentos difíceis que as sucedem? A pesquisadora em resiliência Lucy Hone compartilha três estratégias concebidas com muita dificuldade que visam desenvolver a capacidade de desafiar as adversidades, superar lutas e encarar o que quer que aconteça com graça e coragem.

Como a magia da bondade me ajudou a sobreviver ao Holocausto

O sobrevivente do Holocausto, Werner Reich, relata sua adolescência angustiante como prisioneiro transportado entre campos de concentração, e compartilha como um pequeno gesto de gentileza pode inspirar uma vida inteira de compaixão. “Se você conhece alguém que precisa de ajuda ou que está com medo, seja gentil com ele”, diz ele. “Se você o fizer na hora certa, isso entrará no coração dessa pessoa e ficará com ela aonde quer que for, para sempre”.

Mudanças climáticas deslocarão milhões de pessoas. Como nos prepararmos para isso

Cientistas preveem que as mudanças climáticas deslocarão mais de 180 milhões de pessoas até o ano 2100, uma crise de “migração climática” para a qual o mundo não está preparado, diz a advogada Colette Pichon Battle, nativa de Louisiana, que atua na recuperação de desastres. Nesta palestra apaixonada e lírica, ela nos incentiva a reestruturar de forma radical os sistemas econômico e social que causaram e impulsionam a migração climática, e compartilha como podemos cultivar a resiliência coletiva, nos preparar melhor antes de um desastre e promover os direitos humanos para todos.

Como símbolos e marcas moldam nossa humanidade

“Gestão de marca é a manifestação profunda do espírito humano”, afirma Debbie Millman, designer e “podcaster”. Em uma odisseia histórica que ela mesma ilustrou, Millman descreve a evolução da gestão de marca, da arte rupestre nas cavernas a bandeiras, até os rótulos de cerveja e além. Ela explora a força que os símbolos têm para unir as pessoas, começando com as comunidades pré-históricas que os utilizavam para representar crenças, e identifica filiações com empresas modernas que adotam logotipos e marcas registradas para comercializar seus produtos, explicando como a gestão de marca reflete o estado da humanidade.

O que micro-organismos marinhos revelam sobre mudança climática

Quando o oceano muda, o planeta muda, e tudo começa com os micro-organismos, afirma a oceanógrafa biológica Angelicque White. Apoiada em décadas de pesquisas e dados, White conta como os cientistas usam esses micróbios primitivos como um barômetro crucial da saúde dos oceanos, e de que modo podemos revitalizá-los enquanto as temperaturas marinhas continuam a aumentar.