No Waste Challenge premiará soluções para redução de resíduos

No Waste Challenge premiará soluções para redução de resíduos

Todo ano 2,12 bilhões de toneladas de lixo são descartadas no mundo. Se continuarmos assim, nossa produção anual global de resíduos deverá aumentar em impressionantes 70% antes de 2050, acelerando enormes problemas sociais e ambientais. Pensando nisso, o What Design Can Do (WDCD) está lançando o No Waste Challenge, seu terceiro Desafio para Ação Climática (Climate Action Challenge) em parceria com a Fundação IKEA. Esta competição global de design convida a comunidade criativa a abordar o enorme impacto do desperdício e do consumismo que causam as mudanças climáticas. As ideias vencedoras levam um prêmio de € 10.000 e aceleração com o Impact Hub.

O que o desafio está buscando?

Embora seja necessário redesenhar todo o sistema de consumo a longo prazo, é possível causar impactos imediatos incentivando as pessoas a comprar menos, fabricando produtos mais sustentáveis e reutilizando, consertando ou reciclando materiais em todos os pontos da cadeia produtiva. Por isso o No Waste Challenge está em busca de soluções em design das mais locais às mais globais, que sejam estimulantes, viáveis, potencialmente escalonáveis. Inscrições online até 1º de abril de 2021 em neste link.

Designers, apresentem-se!

Historicamente, designers têm encorajado a super produção, a super extração e a busca inesgotável por novidades. Mas o design também tem o poder de mudar perspectivas e facilitar visões alternativas de futuro. A crise do COVID-19 apresenta uma oportunidade sem precedentes para abrir portas a novas ideias, produtos, serviços e sistemas.

“Designers estão em uma posição única de mudar como as coisas são feitas – e do quê elas são feitas. Um número crescente de criativos já têm assumido papéis ativos na transição para uma economia circular, experimentando com materiais e processos, dando visibilidade e inspirando novas narrativas vitais para que rejeitos se tornem recursos. Mas o potencial é muito maior. Agora, mais do que nunca, a comunidade de designers precisa intensificar, assumir e liderar essa mudança”, afirma Richard van der Laken, co-fundador do WDCD.

Problemas globais, soluções globais

Ainda que o lixo seja um problema global, as melhores soluções começam perto de casa. Em 2021, o Rio de Janeiro se junta a São Paulo como sede brasileira do programa e, pela primeira vez, o site está todo traduzido para o português – este ano projetos locais podem ser enviados na nossa língua (apenas o título e a descrição inicial precisam estar em inglês). Segundo Bebel Abreu, da Mandacaru, que trouxe o WDCD no Brasil, “a intenção de abrir inscrições em português foi aumentar a acessibilidade ao programa e, assim, receber mais propostas locais”.

Em maio um júri de especialistas selecionará 10 ideias de todo o planeta, incluindo ao menos uma daqui. Além de São Paulo e Rio, é possível atender ao briefing de Nairobi, Tóquio, Délhi, Cidade do México e Amsterdã, ou ainda ao briefing global. Junto com um prêmio de € 10.000 para cada vencedor, a principal parte da premiação é uma aceleração global co-criada com a Impact Hub, que inclui treinamentos online, sessões de mentoria e um bootcamp de uma semana em Amsterdã (se a pandemia deixar).

Para mais informações, clique aqui.