Beewise: Startup quer ajudar a salvar a população global de abelhas

Apesar de serem minúsculas, as abelhas possuem um papel de extrema importância para o planeta. Elas são os melhores e mais eficientes agentes polinizadores da natureza, responsáveis pela reprodução e perpetuação de milhares de espécies vegetais, produzindo alimentos, conservando o meio ambiente e mantendo o equilíbrio dos ecossistemas.

Estima-se que as abelhas existem há mais de 42 milhões de anos, e, segundo a apicultora britânica Eva Crane, os sumérios – que se estabeleceram na Mesopotâmia por volta de 5 000 a.C –, já usavam o mel, extraído diretamente das colmeias. Acredita-se que, há cerca de 4.400 anos, quando os egípcios descobriram que era possível fazer com que as abelhas instalassem suas colônias em recipientes de cerâmica. Assim, a produção de mel passou a ser mais prática e segura, mas não deixava de ser uma prática predatória – uma vez que era preciso acabar com as colônias ao retirar o mel e a cera para uso humano. Com o passar do tempo, essa técnica foi se aprimorando até chegarmos à caixa para abelhas que conhecemos hoje: criada em 1851, pelo norte-americano Lorenzo Lorraine Langstroth, onde é possível criar abelhas, retirar seu mel e sua cera, sem prejudicá-las.


Leia também: “As mudanças climáticas e o impacto na vida das abelhas


Embora as abelhas sejam um dos seres vivos mais importantes do mundo, sua população caiu em 35% nos últimos anos. Bilhões de abelhas morrem a cada ano devido às mudanças climáticas, diminuição da diversidade de culturas, perda de habitat e o uso de pesticidas.

Diante deste cenário, uma startup israelense está buscando uma solução não só “pensando fora da caixa”, mas também “repensando a caixa”. Para isso, a Beewise, criou uma colmeia totalmente automatizada, movida por inteligência artificial e robótica, que permite monitoramento remoto constante e reduz drasticamente a perda anual de colônias.

Ao contrário da caixa de madeira tradicional, a “Beehome” é um grande cubo que abriga o equivalente a 24 colmeias, ou um milhão de abelhas. Temperatura, infestações e suprimentos locais de água e forragem são controlados remotamente para manter a saúde das abelhas.

Além da inteligência artificial, um robô instalado dentro da colmeia inclui um braço que desliza pelo corredor entre as sub-colônias, removendo favos de mel – assim como um apicultor faz, mas também capturando fotos e vídeos que são traduzidos em dados pelo software. O aprendizado de máquina melhora o desempenho do software, permitindo que as colmeias robóticas reduzam as perdas anuais de 40% para 7,59%.

Assim, a Beewise quer ajudar os apicultores a polinizar e produzir mel, salvando as abelhas e utilizando tecnologia moderna.

Para saber mais, assista ao vídeo abaixo e confira o site oficial da Beewise.

__

Créditos: Imagem Destaque – Diyana Dimitrova / Shutterstock

Assine nossa newsletter!

Para conferir em primeira mão os conteúdos do InovaSocial em seu e-mail, assine agora nossa newsletter.
Insira o seu e-mail