Pimp My Carroça tem um dos principais projetos de combate à pandemia

Pimp My Carroça tem um dos principais projetos de combate à pandemia

Em meio à pandemia da Covid-19, a ONG Pimp My Carroça se viu obrigada a encontrar maneiras seguras e distanciadas de continuar trazendo visibilidade, segurança e renda aos catadores de materiais recicláveis. Agora, ao final do ano, as ações foram reconhecidas pelo disputado prêmio Empreendedor Social da Folha de S. Paulo, que consagrou a ONG como uma das 30 iniciativas brasileiras de maior impacto positivo durante a crise sanitária, social e econômica sem precedentes. No total, 414 casos de todo o Brasil foram inscritos e divididos em três categorias. O Pimp My Carroça foi um dos 10 vencedores da categoria Ajuda Humanitária.

A principal ação foi o financiamento coletivo Renda Mínima Pros Catadores, que arrecadou mais de R$ 1,5 milhão e distribuiu entre os profissionais da reciclagem, muitos dos quais não tiveram acesso ao auxílio do governo federal. No final das contas, 2.117 catadores de todas as regiões do Brasil receberam um repasse de R$ 650 – essa conquista só foi possível graças a doação de milhares de pessoas físicas e dezenas de empresas e organizações que se mobilizaram para apoiar os catadores, trabalhadores responsáveis por coletar 90% de tudo que o Brasil recicla.

Além do repasse financeiro, 7.000 kits de água e sabão foram distribuídos pra catadores e outras pessoas em situação de vulnerabilidade social. Quase 200 toneladas de alimentos foram entregues durante a pandemia, além da distribuição de refeições em marmitas, que chegaram nas mãos de 18 mil pessoas. Máscaras e outros itens de proteção também foram entregues pros catadores durante a pandemia.

“Esse prêmio não é só do Pimp My Carroça e do Cataki. É de todos que apoiaram os catadores durante esse período de trevas e, claro, dos próprios profissionais da reciclagem, os trabalhadores que mais fazem pelo meio ambiente no Brasil”, afirma Mundano, artivista fundador do Pimp My Carroça e do Cataki, app criado pela ONG pra que catadores sejam chamados pra fazer a coleta dos geradores de resíduos.

O sucesso do Renda Mínima Pros Catadores trouxe uma grande visibilidade aos catadores e, com isso, um grande número de empresas se sentiram motivadas a ajudá-los, seja entregando cestas básicas, kits de segurança, até máscaras personalizadas. Algo que, mesmo pontual, fez com que os profissionais conseguissem realizar seu trabalho de modo mais seguro.

Após o sucesso do Renda Mínima, a ONG criou o Viva os Catadores, campanha de financiamento coletivo que ajudará o movimento a se sustentar e, assim, ajudar os catadores de material reciclável da melhor maneira. Ao contrário do Renda Mínima pros Catadores, o Viva os Catadores é uma campanha recorrente, com o objetivo dos doadores se tornarem apoiadores mensais da causa.


Para saber mais sobre o Pimp My Carroça e todas as suas iniciativas, clique aqui.


Webinário debate papel desempenhado pelo empreendedorismo social na pandemiaWebinário debate papel desempenhado pelo empreendedorismo social na pandemia

Créditos: Imagem Destaque – Willians Menani