Vegetais podem durar mais com este revestimento

Vegetais podem durar mais com este revestimento

As embalagens plásticas podem ser úteis em proteger fruta e vegetais da deterioração, mas também criam quantidades significativas de resíduos, o que acaba causando um problema na tentativa de resolver outro. Pensando nisso, a rede de supermercados suíça Lidl e pesquisadores do EMPA (Laboratórios Federais Suíços de Ciência e Tecnologia de Materiais) desenvolveram uma capa protetora para frutas e legumes à base de matérias-primas renováveis.

O EMPA possui décadas de experiência na investigação de produtos de celulose e, de seu laboratório de Celulose e Materiais de Madeira, os pesquisadores passaram mais de um ano desenvolvendo um revestimento de proteção especial, feito de celulose, que pode ser aplicado em frutas e vegetais, permitindo que eles permaneçam frescos por muito mais tempo.

Nos testes, a vida útil de bananas, por exemplo, foi estendida em mais de uma semana. Isso reduz significativamente o desperdício de alimentos.

“O grande objetivo é que esses biorrevestimentos possam substituir muitas embalagens à base de petróleo no futuro”, diz Gustav Nyström, chefe de laboratório do EMPA.

A ideia é transformar bagaço (resíduo sólido que sobra após a extração do suco de frutas, vegetais ou plantas) em celulose. Anteriormente, essa sobra de vegetais era descartada em usinas de biogás ou diretamente no campo; no futuro, ela será utilizada para criar um revestimento protetor para frutas frescas. O revestimento pode ser pulverizado na fruta ou aplicado “megulhando” o produto nele, é fácil de lavar e é seguro para os consumidores – ou seja, ele também pode ser consumido sem problemas. Além disso, ainda é possível adicionar ao revestimento aditivos como vitaminas ou antioxidantes.

A ideia é transformar bagaço (resíduo sólido que sobra após a extração do suco de frutas, vegetais ou plantas) em celulose. Anteriormente, essa sobra de vegetais era descartada em usinas de biogás ou diretamente no campo; no futuro, ela será utilizada para criar um revestimento protetor para frutas frescas. O revestimento pode ser pulverizado na fruta ou aplicado “megulhando” o produto nele, é fácil de lavar e é seguro para os consumidores – ou seja, ele também pode ser consumido sem problemas. Além disso, ainda é possível adicionar ao revestimento aditivos como vitaminas ou antioxidantes.

O projeto é apoiado pela Innosuisse, a agência de inovação suíça, e o objetivo é que a nova tecnologia seja usada em todas as 150 lojas Lidl na Suíça após o teste principal ser bem-sucedido.

Cucumber coating by Empa and LidlCucumber coating by Empa and Lidl