Grupo Volkswagen investe 73 bilhões de euros em tecnologias futuras

O Grupo Volkswagen está levando adiante sua transformação em uma empresa de mobilidade digital. O Grupo irá gastar cerca de 73 bilhões de euros em eletrificação, motores híbridos e tecnologia digital ao longo dos próximos cinco anos. Os investimentos em bens de capital e Pesquisa e Desenvolvimento para futuras tecnologias serão aumentados de 40 para 50% dos investimentos totais do grupo, para um valor em torno de 150 bilhões de euros. Os investimentos em digitalização vão dobrar, atingindo 27 bilhões na metade da década, refletindo o forte foco do Grupo na construção de capacidade em softwares. Aproximadamente 35 bilhões de euros serão gastos em veículos elétricos movidos a bateria. Outra quantia, de aproximadamente 11 bilhões, foi reservada para o desenvolvimento de versões híbridas de modelos já existentes.

“Como parte do planejamento de investimentos do Grupo Volkswagen, o Conselho de Administração e o Conselho Supervisor estabeleceram hoje os fundamentos para assegurar o sucesso futuro do Grupo. A transformação do Grupo e de suas marcas e o foco estratégico nas áreas centrais da mobilidade serão implementados consistentemente. Considerando os enormes desafios que enfrentaremos nos próximos anos. Nossa base financeira é muito sólida”, afirmou Hans Dieter Pötsch, presidente do Conselho Supervisor do Grupo Volkswagen.

“Tendo estabelecido antecipadamente o curso para o futuro da propulsão elétrica à bateria, somos agora líderes globais, com nossas plataformas elétricas e uma ampla gama de veículos elétricos”, disse Herbert Diess, CEO do Grupo Volkswagen. “Nos próximos anos, será crucial também alcançar uma posição de liderança em softwares para o carro para atender focaremos nossos esforços para também alcançar uma posição de liderança em softwares para atender às necessidades de uma mobilidade individual sustentável e totalmente conectada. Para esse fim, dobramos nossos gastos com digitalização.”

Bernd Osterloh, presidente do Conselho Geral dos Trabalhadores do Grupo ressaltou: “Os investimentos demonstram que nosso Grupo cumpre o que afirma em termos de transformação, mobilidade elétrica e digitalização. Com relação a estes temas, estaremos totalmente na ofensiva nos próximos anos. A compreensão da transformação e a confiabilidade de um planejamento adequado, porém, são tão importantes como os orçamentos de bilhões de euros. É aí que nós – empregados, gerentes, o Conselho de Administração e gestores de políticas públicas- entramos em cena. Com relação à parte de políticas públicas, estou me referindo em particular a Berlim e Bruxelas e a temas fundamentais como infraestrutura para carga e Internet de alta velocidade. A Volkswagen está totalmente comprometida com uma mobilidade sustentável para o clima e altamente interconectada. Mas, para isso, nós e nossos clientes precisamos de um meio ambiente seguro.”

A Rodada de Planejamento é baseada na expectativa de que a economia global irá crescer moderadamente ao longo dos próximos cinco anos. Um crescimento moderado com diferenças regionais também é esperado para os mercados individuais. O aumento da produtividade em 30% e as economias na administração são para garantir financeiramente a transformação. Além disso, o Grupo está trabalhando sistematicamente na otimização de seu portfólio de produtos. Assim, versões de modelos, combinações de motor e transmissão e itens com demanda menor serão otimizados para reduzir a complexidade e aumentar a eficiência do portfólio. O planejamento exclui as joint ventures mantidas na China, pois essas empresas não fazem parte do grupo consolidado e financiam os investimentos em fábricas e produtos com seus próprios recursos.

Mobilidade elétrica e tecnologias híbridas

A Volkswagen foi a primeira fabricante de automóveis a aderir ao Acordo de Paris e tem como objetivo tornar-se climaticamente neutra até 2050. Nos próximos dez anos, até 2030, o Grupo pretende lançar aproximadamente 70 veículos totalmente elétricos. Cerca de 20 deles já estão em produção e serão seguidos por mais 50. Além disso, cerca de 60 híbridos estão planejados para o final da década, pouco acima da metade dos que já estão sendo fabricados.

A Rodada de Planejamento prevê a produção de aproximadamente 26 milhões de carros totalmente elétricos até 2030. Cerca de 19 milhões desses veículos serão baseados na Plataforma de Propulsão Elétrica (MEB – Modular Electric Drive Toolkit), com a maior parte dos sete milhões restantes utilizando a plataforma PPE de alto desempenho. O Grupo estima uma produção de aproximadamente sete milhões de veículos híbridos durante o mesmo período.

Ênfase significativamente maior no tema-chave da digitalização

Devido ao papel crucial que o software irá desempenhar para o sucesso futuro da Volkswagen, os gastos de capital na digitalização irão totalizar cerca de 27 bilhões de euros, o dobro do valor estabelecido na Rodada de Planejamento anterior. Isso inclui gastos com o software de carros da organização que foi lançado com sucesso no início deste ano. O objetivo é criar um grupo de softwares que será lançado no projeto Artemis da Audi a partir de 2024. A parcela da empresa em softwares próprios deverá aumentar de 10% para 60%. Além disso, uma grande parte dos fundos reservados para digitalização serão investidos em inteligência artificial, condução autônoma e na digitalização de processos de negócios significativos.

Transformação da Alemanha num centro de indústrias será incentivada

Investindo em suas instalações na Alemanha, a Volkswagen, como um dos maiores grupos industriais do país, está contribuindo para a força da economia alemã, enquanto continua a incentivar a transformação do país na direção de um futuro mais sustentável e mais digital, com segurança para os empregos no longo prazo. Após a Saxônia, a Baixa Saxônia será o segundo centos de mobilidade elétrica da Alemanha.

Em Salzgitter, o Grupo investirá cerca de um bilhão de euros na estratégica e importante tecnologia de baterias. Juntamente com sua parceira sueca Northvolt, a Volkswagen irá construir uma instalação de produção de células que entrará em operação em 2024 e aumentará a competitividade da Alemanha como uma locação industrial. Este é mais um elemento fundamental para a bem-sucedida transformação da divisão de Componentes do Grupo Volkswagen, iniciada em 2015.

Nas sedes individuais, a estratégia de consolidação das famílias de produtos será continuada para alavancar ainda mais as sinergias entre as marcas e alcançar maiores ganhos de eficiência.

Wolfsburg vai acrescentar um modelo ao seu portfólio: outro SUV, visando o mercado europeu, sairá da linha de montagem a partir de 2024. A instalação já produz toda a família Golf, com seus derivados, o Volkswagen Tiguan e o SEAT Tarraco.

No futuro, a Volkswagen Commercial Vehicles vai construir o totalmente elétrico ID. BUZZ em sua fábrica de Hanover, juntamente com três modelos totalmente elétricos D-SUV para outras marcas do Grupo. Por isso, a sede de Hanover está acelerando a transformação para a mobilidade elétrica que já havia iniciado.

Na fábrica da marca Volkswagen em Emden, a transformação também está evoluindo rapidamente: enquanto o trabalho de construção para a mudança para a mobilidade elétrica está em pleno curso, o segundo modelo elétrico para a fábrica está sendo definido. Além do ID.4, o modelo totalmente elétrico de quatro portas Volkswagen Aero está agendado para ser fabricado lá a partir de 2023.

Ao mesmo tempo, o Passat, atualmente fabricado em Emden, será produzido em Bratislava, na Eslováquia, a partir de 2023, juntamente com a família ŠKODA SUPERB, que também irá alavancar sinergias dentro da família de veículos. A mudança da produção do SUPERB da fábrica checa de Kvasiny para Bratislava dará à SKODA a capacidade necessária na República Tcheca para levar adiante o planejamento do crescimento da marca.

__

Créditos: Imagem Destaque – nrqemi / Shutterstock

Deixe uma resposta

Assine nossa newsletter!

Para conferir em primeira mão os conteúdos do InovaSocial em seu e-mail, assine agora nossa newsletter.
Insira o seu e-mail