Empresa inglesa cria asfalto feito com plástico reciclado

Quantos buracos existem no asfalto da rua da sua casa? Acredito que quase nenhum brasileiro dirá “nenhum”, pelo contrário, alguns até dirão “que asfalto?”. Uma empresa inglesa parece ter a solução perfeita para resolver este problema. Criada por um trio de empreendedores, a MacRebur desenvolveu uma solução que utiliza plástico reciclado como asfalto. É o famoso “dois coelhos com uma cajadada só”. Ao mesmo tempo em que resolve a durabilidade das vias urbanas, também retira um grande vilão do meio ambiente, o plástico.

Atualmente calcula-se que cerca de 5 trilhões de plásticos são jogados nos oceanos e, infelizmente, a situação não parece ter nenhuma melhora, porque a produção de plástico só aumenta a cada ano. Para completar, o plástico representa 40% do lixo despejado em aterros. Ou seja, é um volume absurdo de matéria prima para a MacRebur.

De acordo com a empresa, a sua solução é, além de ecológica, menos propensa a buracos (já que é mais resistente que o betume tradicional) e mais barata que as soluções atuais. O produto da MacRebur é tão interessante, que já pescou a atenção até de grandes investidores, entre eles o bilionário Richard Branson.

O produto foi vencedor da Virgin Voom 2016, uma competição de startups do Reino Unido promovida pela empresa de Branson. Na edição passada, mais de 9 mil projetos foram inscritos na competição, mas só três chegaram a ser apresentadas para o bilionário, entre elas a MacRebur.

A MacRebur não é a única empresa preocupada com o volume de plástico despejados nos oceanos. Em 2016, a adidas anunciou uma parceria com a Parley For The Oceans para a reciclagem de resíduos do oceano e a fabricação de um calçado 100% feito com esta “matéria prima”. De acordo com a empresa alemã, para o ano de 2017, é esperado que pelo menos 11 milhões de garrafas plásticas sejam retiradas das áreas costeiras pela Parley Global Clean-up Network e recicladas para serem repostas em produtos de elite de performance, eliminando o plástico virgem da cadeia de suprimentos.

___

Gostou do texto e quer fazer parte da nossa comunidade? Envie uma sugestão de pauta, um texto autoral ou críticas sobre o conteúdo para contato@inovasocial.com.br

Receba conteúdo exclusivo

Para não perder os próximos conteúdos do InovaSocial e receber materiais exclusivo em seu e-mail, assine agora a nossa newsletter.
Insira o seu e-mail