5 dicas para construir uma cidade focada em inovação social

Incentivar planos urbanos mais flexíveis

Projetos urbanos “top-down”, ou seja, onde a prefeitura determina e a comunidade cumpre, na maioria das vezes não cria interação com seus espaços. Moradores de todas as idades, dos jovens aos idosos, devem auditar suas cidades regularmente e fazer sugestões sobre como as coisas podem mudar. A cidade deve incentivar a aleatoriedade e ser mutável com suas necessidades.

Envolver os jovens no planejamento do futuro

É fundamental envolver os jovens no processo de construção de futuros espaços urbanos. Como eles co-criam os espaços da cidade em que vivem? Segundo Anil Gupta, da Honeybee Network, na Índia, “os jovens, com a sua criatividade e malícia devem ser capazes de ‘brincar’ com a cidade. Eles não devem ser beneficiários passivos, mas fazer parte do processo, dando ideias e concebendo a cidade”.

Fomentar a cooperação na cidade

As cidades não são apenas espaços e edifícios, também são constituídas por pessoas. Peter Ramsden, da URBACT, destaca o poder das comunidades que trabalham em cooperação. Algumas das maiores mudanças nas sociedades aconteceram através da organização comunitária. As comunidades podem trabalhar em conjunto para levantar formas alternativas de financiamento, por meio de crowdfunding, por exemplo, ou modelos alternativos de modelos cooperativos. À medida que as cidades se desenvolvem, as tecnologias e os governos desempenham papéis maiores, mas não devemos esquecer o poder das pessoas.

No Brasil, alguns exemplos interessantes são os FabLabs Livre de São Paulo, laboratórios de criatividade, aprendizado e inovação acessíveis a todos interessados em criar, desenvolver e construir projetos. Frutos de uma parceria entre a Prefeitura Municipal de São Paulo e o Instituto de Tecnologia Social, os Fab Labs Livre SP são abertos e acessíveis a todas as pessoas que tenham interesse em aprender, desenvolver e construir projetos coletivos ou pessoais, envolvendo tecnologia de fabricação digital, eletrônica, técnicas tradicionais e práticas artísticas.

Já a Operação Serenata de Amor é uma iniciativa da Data Science Brigade, que tem o objetivo de construir uma inteligência artificial capaz de analisar contas públicas, identificando possíveis ilegalidade.

Prepare-se para mudar a cidade

Muitos dos nossos espaços públicos são construídos em torno de centros comerciais ou do trabalho. Com as novas tecnologias, mais compras serão feitas via e-commerce e mais as pessoas adotarão o trabalho remoto, com isso, a cidade vai mudar drasticamente. Como podemos reorientar as cidades para atender as mudanças do futuro? Este é um desafio que deve ser pensando hoje.

Considere a administração a longo prazo

Prefeitos possuem mandatos limitados, mas a comunidade é algo presente e permanente. Projetos como o Seoul Station 7017, um projeto de regeneração que está transformando um grande viaduto em Seul, em um espaço de convivência para pedestres. Algo parecido com o que já acontece em São Paulo com o tradicional Minhocão. Estas cidades precisam considerar quem pode assumir o papel de gerenciar estes espaços e iniciativas, mesmo depois do mandato de um determinado prefeito ter acabado. Ou teremos o problema comum de algumas cidades brasileiras, onde – junto com as mudanças na prefeitura – mudam-se os projetos a cada nova administração.

Fonte: Texto baseado no artigo “Tips for building a social innovation city“, da SIX

Receba conteúdo exclusivo

Para não perder os próximos conteúdos do InovaSocial e receber materiais exclusivo em seu e-mail, assine agora a nossa newsletter.
Insira o seu e-mail