E se os grandes filantropos se unissem para apoiar grandes projetos de impacto social?

Neste ano, um grupo com os principais filantropos do mundo anunciou a criação da Co-Impact, um novo modelo global para filantropia colaborativa e mudança social em grande escala. A partir dessa proposta, a iniciativa irá investir US$ 500 milhões em três áreas que apresentam índices críticos ao redor do mundo – saúde, educação e oportunidade econômica – com o objetivo de melhorar as vidas de pessoas privilegiadas em todo o mundo em desenvolvimento.

O grande objetivo da Co-Impact é melhorar as vidas de milhões de pessoas ao promover educação, acesso à saúde e proporcionando oportunidades econômicas para que todas essas famílias, não importando onde elas vivem, tenham um futuro mais promissor.

A Co-Impact sabe que para alcançar esses objetivos é preciso de colaboração e parceria, apoio a longo prazo e comprometimento. Uma mudança do sistema atual pode ser bem-sucedida quando comunidades locais, ONGs, governos e empresas e pessoas físicas se unem com o objetivo de gerar uma mudança duradoura, indo muito além do que qualquer pessoa ou organização poderia fazer sozinha. O papel da Co-Impact é conectar filantropos uns aos outros e com líderes que promovem a mudança social para desenvolver, apoiar e investir em soluções que estão prontas para serem aplicadas e ampliadas.

Os principais parceiros, responsáveis pela criação da Co-Impact, são Richard Chandler, Bill e Melinda Gates, Jeff Skoll, Dr. Romesh e Kathy Wadhwani e a Rockefeller Foundation. Esse é o grupo que irá definir estratégias e selecionar as oportunidades que a iniciativa irá apoiar. E, além de seu papel como uma dos principais parceiros, a Rockefeller Foundation incubou a Co-Impact e irá fornecer equipe, fundos operacionais e suporte estratégico contínuo à iniciativa. A EkStep Foundation, fundada por Rohini e Nandan Nilekani, irá atuar como parceira técnica da Co-Impact, dando suporte a uma série de programas da iniciativa com seus conhecimentos em plataformas sociais e capacitação.

Ainda assim, a Co-Impact espera incluir novos parceiros centrais adicionais, bem como co-investidores interessados em iniciativas ou áreas geográficas específicas. Além disso, a Co-Impact Network irá fornecer a um grupo amplo de filantropos do mundo todo a oportunidade de contribuir, trocar experiências e aprender com o modelo da Co-Impact.

“Acreditamos que a colaboração é algo fundamental na resolução de alguns dos desafios sociais mais intimidantes do mundo,” diz Olivia Leland, diretora administrativa da Rockefeller Foundation, diretora fundadora da Giving Pledge e CEO da Co-Impact. “Nosso objetivo é construir uma comunidade onde os filantropos possam trabalhar e aprender junto a líderes focados na mudança social para gerar resultados extraordinários. Nossa esperança é de que, com o tempo, mais filantropos se juntem para reunir recursos e experiência a fim de apoiar grandes projetos de impacto social e gerar resultados em grande escala.”

As primeira doações da Co-Impact estão sendo feitas já no primeiro semestre de 2018 e serão divulgadas e reportadas ao final do ano.

O modelo da Co-Impact surgiu da experiência de Olivia Leland com a Giving Pledge, uma organização criada por Warren Buffett e Melinda e Bill Gates para incentivar outros bilionários a doar o seu patrimônio ainda em vida para a filantropia. Por meio de uma pesquisa, a Giving Pledge identificou as principais lacunas no atual cenário da mudança social filantrópica. Existem poucos mecanismos efetivos que proporcionam que doadores juntem conhecimentos e recursos para financiar grandes projetos ou para que líderes de organizações de impacto social encontrem filantropos interessados e capazes de fornecer capital e apoio a longo prazo.

Como resultado, doadores precisam investir uma quantidade significativa de tempo e recursos para encontrar, examinar e administrar um projeto. E isso acaba por limitar o número de projetos de grande escala que estão sendo financiados, impedindo que muitos doadores participassem desses projetos. Da mesma forma, líderes de organizações de impacto social devem dedicar uma quantidade extraordinária de tempo e energia para reunir financiamentos para impulsionar seus projetos, limitando sua capacidade de dimensionar seu trabalho.

Logo, com exceção de algumas grande iniciativas globais, a maior parte das doações hoje é de US$ 10 milhões ou menos, em projetos de curto prazo e focadas no crescimento de organizações individuais, em vez de criar uma grande mudança no sistema.

A Co-Impact foi projetada para preencher essas lacunas.


Para saber mais, acesse o site oficial da Co-Impact.


Gostou do texto e quer fazer parte da nossa comunidade? Envie uma sugestão de pauta, um texto autoral ou críticas sobre o conteúdo para contato@inovasocial.com.br

Receba conteúdo exclusivo

Para não perder os próximos conteúdos do InovaSocial e receber materiais exclusivo em seu e-mail, assine agora a nossa newsletter.
Insira o seu e-mail