Projeto Shed: Casas pré-fabricadas viram moradia em prédios desocupados

projeto-shed-moradia-predio-desocupado-inova-social-01

Em 2014, Tim Lowe tinha dificuldade em encontrar moradia acessível em Londres. Tim estava em uma fase de transição financeira, onde, como um jovem profissional, ganhava mais do que o necessário para poder ter uma casa subsidiada, mas não bem o suficiente para alugar algum outro espaço. Na busca de uma solução para esse problema, Tim embarcou em um experimento: por quatro meses, ele tentou viver em qualquer casa que conseguiu encontrar por menos de £ 500 (cerca de R$ 2110) , na região central de Londres.

Esse experimento o levou a diferentes lugares, como uma casa-barco, uma república, um trailer, um protótipo de uma pequena casa pré-fabricada, em uma comunidade coletiva em um antigo prédio comercial e em também prédios desocupados, onde ele atuou como uma espécie de “guardião de propriedade” para os donos. Essa atividade tinha grandes desafios: em um dos prédios, ele vivia com ratos e com um aquecedor que não podia ser desligado no verão, além de já ter que dividir um chuveiro com outras vinte pessoas.

Após essa experiência, Tim percebeu que existia muito potencial em tudo o que havia vivido, e decidiu se empenhar em criar um projeto que pudesse usar os edifícios temporariamente vagos para fornecer algo tão importante para todos: moradia.

projeto-shed-moradia-predio-desocupado-inova-social-02

Tim fundou uma startup, a Lowe Guardians, que agora converte prédios vazios em habitações limpas, seguras, agradáveis e por um baixo custo. Para os donos dos edifícios, ter moradores temporários oferece segurança gratuita e os qualifica para um redução de impostos. Para os “guardiões”, essa é uma forma acessível para se viver no centro da cidade.

“O projeto abre e desbloqueia espaços que as pessoas não poderiam pagar,” diz Tim. “Londres é uma cidade grande, mas existe uma grande quantidade de lugares desocupados e também uma grande quantidade de lugares podem ser usados de uma melhor forma.”

O conceito usado pela Lowe Guardians começou na Holanda e na Alemanha, e chegou no Reino Unido nos anos 2000, onde ele cresceu rapidamente. Mas essa não era uma atividade regulamentada, logo, as condições muitas vezes eram ruins. Para reverter isso, a startup trabalhou com os designers do Studio Bark para criar o Projeto Shed – uma estrutura simples e acessível que pode ser inserida em um espaço maior para criar um quarto e uma área privada de convivência para cada um dos guardiões. Recentemente, as estruturas começaram a ser instaladas e todo processo é muito simples: a montagem leva cerca de um dia, e seu projeto foi feito para que ele possa ser montado até mesmo por leigos, assim os próprios guardiões podem construir seus espaços. Quando a propriedade precisar ser devolvida, cada Shed pode ser desmontado e reusado em qualquer lugar. A próxima versão do projeto está em desenvolvimento agora e também incluirá cozinhas e banheiros privativos – hoje, as cozinhas e os banheiros ainda são compartilhados nos edifícios vagos.

projeto-shed-moradia-predio-desocupado-inova-social-05

O aluguel de cada Shed varia, dependendo do local e do edifício, mas os preços vão de £ 250 a £ 650 (R$ 1000 – R$ 2700). Segundo Tim, muitas vezes os preços estão 50% abaixo da média do mercado. E também há casos em que a Lowe Guardians é paga pelos proprietários dos prédios, já que o projeto fornece segurança para suas propriedades.

Assim que o edifício precisa ser devolvido, os guardiões precisam se mudar; e, ironicamente, os Sheds muitas vezes são substituídos por apartamentos luxuosos. Mas a startup vê esse conceito de “guardiões” como uma solução que pode ajudar pessoas, mesmo que temporariamente, enquanto o governo e o mercado tentam encontrar soluções mais duradouras para os problemas que são causados pela falta de habitação.

Para saber mais sobre o Projeto Shed, assista ao vídeo abaixo:

___

Gostou do texto e quer fazer parte da nossa comunidade? Envie uma sugestão de pauta, um texto autoral ou críticas sobre o conteúdo para contato@inovasocial.com.br

Receba conteúdo exclusivo

Para não perder os próximos conteúdos do InovaSocial e receber materiais exclusivo em seu e-mail, assine agora a nossa newsletter.
Insira o seu e-mail