SUVs: De inimigos do meio ambiente a soluções de mobilidade

De acordo com o relatório da Agência Internacional de Energia (IEA, sigla em inglês), lançado em 13 de novembro, os SUVs são a segunda maior causa do aumento das emissões globais de dióxido de carbono durante a última década. A análise, que surpreendeu até seus próprios autores – segundo texto da Wired -, encontrou uma mudança considerável na direção dos SUVs. Em 2010, um em cada cinco veículos vendidos foi um SUV; hoje esse número saltou para dois em cada cinco. “Como resultado, agora existem mais de 200 milhões de SUVs em todo o mundo, contra 35 milhões em 2010”, relata a agência.

Os dados são tão significativos que, “se os motoristas de SUV fossem uma nação, eles ocupariam o sétimo lugar no mundo em emissões de carbono”, afirmou o The Guardian. Em média, os utilitários esportivos consomem cerca de um quarto a mais de energia que os carros de tamanho médio. E a busca por este tipo de veículo segue crescendo. Segundo o relatório da IEA, hoje, quase metade de todos os carros vendidos nos Estados Unidos e um terço dos carros vendidos na Europa são SUVs. Na China, os SUVs são considerados símbolos de riqueza e status.

O consumidor quer SUV, mas o meio ambiente não. A solução? SUVs elétricos!

Os SUVs elétricos já não são novidades, mas ainda ocupam uma pequena parcela do mercado. o Jaguar I-Pace foi considerado em 2019, o “carro mais verde do ano”, segundo o World Car Awards. Com uma bateria de íons de lítio de 90kWh e autonomia de até 470 quilômetros, o I-PACE possui um conjunto de tecnologias inteligentes de otimização de alcance que inclui um sistema de pré-condicionamento de bateria: quando conectado, o modelo aumenta automaticamente (ou diminui) a temperatura de sua bateria para maximizar o alcance antes de começar a andar

Mais recentemente, durante a edição 2020 da CES (Consumer Electronics Show), que acontece entre os dias 07 e 10 de janeiro, a Ford apresentou o Mustang Mach-E. O SUV elétrico com tecnologias inovadoras de conectividade e segurança foi apresentando durante a abertura da maior feira de tecnologia do mundo, em Las Vegas. Com autonomia de até 480 km, o Mustang Mach-E tem 465 cv de potência e aceleração de 0 a 100 km/h na faixa de 3 segundos (versão GT Performance Edition).

SUVs: De inimigos do meio ambiente a soluções de mobilidade

A CES serve também para a Ford mostrar seus avanços no desenvolvimento de tecnologias de mobilidade urbana, entre elas a plataforma City Insights, um conjunto avançado de ferramentas de software que permite às cidades explorar e equacionar vários problemas de mobilidade de forma dinâmica. A TMC – Transportation Mobility Cloud, primeira plataforma aberta baseada na nuvem permite desenvolvedores e fabricantes de veículos criarem novos serviços e experiências para os clientes de veículos conectados.

Já a BMW, usou a CES 2020 para apresentar um novo conceito de mobilidade urbana. Baseado no modelo i3, um dos destaques elétricos da marca alemã, o i3 Urban Suite é um carro transformado em para dar “a sensação descontraída de um hotel” e ideal para prestadores de serviços de transporte particular por aplicativo. Além disso, o modelo utilizou materiais reciclados para estofados, madeira certificada, couro curtido por oliveiras e tapetes pensados para economia circular; feitos de materiais recicláveis e projetados para serem reciclados.

SUVs: De inimigos do meio ambiente a soluções de mobilidade

A BMW é uma das montadoras que tem entrado de cabeça na produção de veículos elétricos. A marca anunciou no fim de 2019 que atingiu a sua meta de meio milhão de veículos elétricos vendidos e espera dobrar este número nos próximos dois anos.

Receba conteúdo exclusivo

Para não perder os próximos conteúdos do InovaSocial e receber materiais exclusivo em seu e-mail, assine agora a nossa newsletter.
Insira o seu e-mail