Por que o Google está instalando 1,6 milhões de painéis solares nos EUA?

paineis-solares-google-inovacao-social-inovasocial-03

Centenas de engenheiros, eletricistas e trabalhadores da construção civil estão construindo duas novas áreas energeticamente eficientes no centro de dados do Google, no sudeste dos EUA – um no Tennessee e outro no norte do Alabama. E a proposta da empresa é não para por aí – mais energia sem carbono está dendo aplicada na rede elétrica que alimentará seus servidores na região. Nos próximos anos, o Google comprará a produção de várias novas usinas solares como parte de um acordo com a Tennessee Valley Authority (TVA), totalizando 413 megawatts de energia de 1,6 milhão de painéis solares – o equivalente ao tamanho combinado de 65.000 telhados residenciais sistemas solares.

Localizadas em Hollywood (cidade do Alabama) e Yum Yum (cidade do Tennessee) as duas maiores fazendas solares poderão produzir cerca de 150 megawatts cada. Essas instalações solares estarão entre os maiores projetos de energia renovável na região do Vale do Tennessee e são as maiores fazendas solares já construídas para o Google. Graças à abundante energia solar gerada por essas novas fazendas, a eletricidade consumida pelos data centers da empresa no Tennessee e no Alabama será combinada com 100% de energia renovável desde o primeiro dia.

Vsta aérea do datacenter do Google no Tennessee, em construção.
Vista aérea do datacenter do Google no Tennessee, em construção.

A implantação de parques solares faz mais do que fornecer uma forma econômica de adquirir energia limpa. A iniciativa também criará benefícios econômicos para o Tennessee e o norte do Alabama. Os parceiros desenvolvedores da TVA (NextEra Energy Resources and Invenergy) contratam centenas de trabalhadores na região, fazem pagamentos de longo prazo aos proprietários e geram milhões de dólares em atividades econômicas e receitas fiscais para a comunidade em geral. Até o momento, os mais de 30 compromissos contratuais de longo para compra de energia renovável do Google resultaram em quase US$ 5 bilhões em investimentos em todo o mundo.

No ano passado, a empresa compartilhou seu objetivo de longo prazo de fornecer eletricidade sem carbono a todo o momento para cada um de seus data centers. Esses novos projetos de energia solar vão promover uma aproximação substancial desse objetivo no sudeste dos EUA. No mapa de calor de carbono abaixo, você pode ver como as operações do Google na região serão equiparadas com energia livre de carbono hora a hora, comparado a um cenário sem os projetos solares – a faixa verde que aparece no mapa de calor ilustra como as fazendas solares farão com que a maior parte da eletricidade consumida durante o dia seja livre de carbono:

paineis-solares-google-inovacao-social-inovasocial-02

Graças à implantação de 1,6 milhão de painéis solares, aproximadamente 72% do uso de eletricidade no centro de dados no Alabama e no Tennessee serão combinados de hora em hora com fontes livres de carbono – em comparação com os 48% consumidos pela região.

Segundo o Google, ainda há muito a fazer para tornar seus data centers totalmente livres de carbono em todo o mundo, e a empresa tem várias ideias sobre como chegar lá. Mas a empresa está um passo mais perto desse objetivo graças ao novo projeto em Hollywood e Yum Yum.

___

Gostou do texto e quer fazer parte da nossa comunidade? Mande uma sugestão de pauta, um texto autoral ou críticas sobre o conteúdo para contato@inovasocial.com.br.

Receba conteúdo exclusivo

Para não perder os próximos conteúdos do InovaSocial e receber materiais exclusivo em seu e-mail, assine agora a nossa newsletter.
Insira o seu e-mail