IKEA oferece licença parental de quatro meses nos EUA

A rede sueca de lojas de móveis IKEA oferecerá agora até quatro meses de licença parental remunerada aos seus trabalhadores dos EUA de todos os sexos, quer sejam assalariados ou por hora – e independentemente de se tornarem pais por nascimento ou adoção.

A mudança separa a IKEA de seus concorrentes no setor varejista dos EUA. Enquanto políticas de licença parental cada vez mais generosas se tornaram pontos importante na rotina no mundo da tecnologia e em grandes empresas, as redes de lojas tendem a restringir esses benefícios aos executivos e gerentes.

O Walmart, por exemplo, oferece 90 dias de licença de maternidade paga e 14 dias de licença de paternidade ou licença por adoção apenas para funcionários assalariados. Outro concorrente, a Target, não comenta suas políticas de licença parental remunerada.

Os EUA continuam a ser o único país desenvolvido no mundo, sem leis que garantam a licença parental paga de qualquer tipo. A Lei de Licença Familiar e Médica prevê 12 semanas de licença de maternidade não remunerada, mas apenas para trabalhadores de tempo integral em empresas com mais de 50 funcionários. Apenas 12% dos trabalhadores americanos têm acesso à licença remunerada. Este número cai para 5% para os trabalhadores com baixos salários. Os empregados de varejo elegíveis para Licença Familiar e Médica não remunerada muitas vezes não podem se dar ao luxo de tirar folga, tornando a política inclusiva da IKEA ainda mais notável.

“Os colegas de trabalho que estiveram com a IKEA por mais de um ano podem sair por até três meses de licença remunerada para estar com a família, recebendo 100% do salário base durante as primeiras seis semanas de licença parental e 50% para um adicional seis semanas “, disse a empresa em um comunicado. “Os trabalhadores com três ou mais anos de casa podem tirar até quatro meses de férias remuneradas, recebendo 100% do salário base durante as primeiras oito semanas e 50% por mais oito semanas.”

Esses benefícios, embora superiores aos dos concorrentes norte-americanos da IKEA, continuam muito longe da política da empresa em sua terra natal, a Suécia. Os trabalhadores da IKEA, como todos os trabalhadores suecos, têm direito a 480 dias de folga pagos quando se tornam pais por nascimento ou adoção. Enquanto os EUA estão muito longe das políticas progressistas da Escandinávia, a decisão da IKEA de conceder aos seus funcionários que ganham por hora os mesmos benefícios que os assalariados é um começo promissor num setor marcado por baixos salários e alta rotatividade.

___
Gostou do texto e quer fazer parte da nossa comunidade? Mande uma sugestão de pauta, um texto autoral ou críticas sobre o conteúdo para contato@inovasocial.com.br

Receba conteúdo exclusivo

Para não perder os próximos conteúdos do InovaSocial e receber materiais exclusivo em seu e-mail, assine agora a nossa newsletter.
Insira o seu e-mail