Chile: Metrô de Santiago será abastecido por energia renovável

Em 2018, o segundo maior sistema metroviário da América Latina terá 60% de seu funcionamento abastecido por energia solar e eólica. Em um comunicado recente, o Metrô de Santiago (Chile) anunciou que assinou dois acordos de 15 anos, um com um provedor de energia solar e outro com uma empresa de energia eólica.

A empresa californiana SunPower irá abastecer 42% da energia do sistema de metrô da cidade, com 250 mil painéis instalados Deserto do Atacama, que utilizarão uma área que equivale a 370 estádios de futebol. Os demais 18% serão fornecidos por um parque eólico recentemente desenvolvido, localizado ao norte do projeto solar da SunPower.

Atualmente, o metrô de Santiago é um dos maiores consumidores de energia elétrica da capital chilena. Por isso, a transição para o uso de energia renovável nesse meio de transportante tão importante para a mobilidade urbana da cidade é um marco muito significante.

Fontes de energia renovável já são uma realidade para algumas pessoas no Chile. Desde o ano passado, áreas da parte norte e central do país são abastecidas dessa forma. Ainda assim, é possível aumentar esse cenário. É esperado que, até 2050, 70% da eletricidade utilizada no Chile seja provida por meios renováveis; contra o índice de 15%, registrado em maio de 2017.

Enquanto isso, pesquisadores acreditam que o metrô poderia aumentar ainda mais seu uso de energias renováveis, instalando painéis solares nos telhados de suas estações, injetando a eletricidade diretamente no sistema de metrô.

Jorge Amaya, pesquisador do Centro de Modelagem Matemática da Universidade do Chile, diz que isso reduziria os custos e reduziria as emissões em cerca de 18%. “Certamente, é o próximo passo”, diz ele. “Isso pode garantir uma economia de gastos muito significante”.

___

Gostou do texto e quer fazer parte da nossa comunidade? Envie uma sugestão de pauta, um texto autoral ou críticas sobre o conteúdo para contato@inovasocial.com.br

Receba conteúdo exclusivo

Para não perder os próximos conteúdos do InovaSocial e receber materiais exclusivo em seu e-mail, assine agora a nossa newsletter.
Insira o seu e-mail