Pensando em futuras tempestades e furacões, novas casas estão sendo construídas em Porto Rico

casas-sustentaveis-porto-rico-inovacao-social-inovasocial-01

Em Villalba, Porto Rico, uma pequena cidade, em uma montanha, que estava no caminho do furacão Maria, levou meses para que a energia elétrica e a água voltassem para algumas casas após a tempestade ter atingido a ilha. A infra-estrutura ainda é frágil e, às vezes, a água de torneira desaparece por dias a fio.

Agora, arquitetos da Marvel Architects planejam construir uma comunidade de casas que possam resistir melhor a futuras tempestades. As casas podem trabalhar fora da rede, sem nenhum serviço municipal, por um a três meses, dependendo do número de ocupantes.

O projeto usa painéis solares e baterias para fornecer eletricidade suficiente para manter a casa em funcionamento quando a rede cai. Um sistema de coleta de água da chuva armazena e filtra a água, enquanto um aquecedor solar mantém os chuveiros aquecidos. Do lado de fora, um jardim pode fornecer comida. O interior pode ficar claro com a luz natural das janelas, e usa ventilação cruzada e paredes de concreto isoladas para manter um ambiente ameno sem ar condicionado. O superaquecimento foi um grande desafio depois de Maria, quando as casas ficaram muito quentes no clima úmido e quente, ao mesmo tempo que as pessoas precisavam manter as janelas fechadas para impedir a poluição causada pelos geradores a diesel.

casas-sustentaveis-porto-rico-inovacao-social-inovasocial-03

“O projeto é baseado no que se entende por uma moradia acessível em Porto Rico para uma única família”, diz Hector Ralat, arquiteto do escritório porto-riquenho da empresa. “Mas o foco era alterar o DNA desse padrão e colocar os componentes essenciais que alguém precisaria para sustentar as condições de vida por pelo menos duas semanas, que é o tempo recomendado aqui para alguém receber ajuda após um desastre.” As casas provavelmente custarão cerca de US$ 120 mil, um valor que permite que os proprietários de imóveis acessem taxas de juros favoráveis em hipotecas. As unidades podem ser empilhadas umas sobre as outras; em Villalba, a maior parte da comunidade terá três andares de altura (a energia solar servirá todo o edifício).

Outros arquitetos também estão trabalhando em planos para levar moradias mais resistentes para a ilha. A SG Residential, uma empresa que projeta prédios de contêineres, está trabalhando com um desenvolvedor em uma comunidade de cerca de 50 residências. Enquanto muitas casas em Porto Rico são construídas com concreto – porque os moradores estão bem cientes do risco de furacões – outras ainda são construídas a partir de madeira e não se saem bem em desastres. Contêineres, projetados para resistir às forças no mar, poderiam ser uma opção melhor.

As casas, a maioria das quais terá dois quartos, vão custar de US$ 90.000 a US$ 130.000. Segundo Paul Galvin, presidente e CEO da SG Blocks, empresa controladora da SG Residential, pode ser possível construir casas mais baratas, mas a empresa está procurando entregar produtos que são orientados para a qualidade, pois serão construídos uma vez e não serão destruídos a cada tempestade. A empresa também está trabalhando com um banco para criar uma hipoteca com custo mensal semelhante ao pagamento de um carro, e o projeto das casas também pode incorporar painéis solares.

casas-sustentaveis-porto-rico-inovacao-social-inovasocial-04

A HiveCube, outra empresa de habitação modular, também está usando contêineres e tem um custo muito menor – com preços a partir de US$ 39 mil para uma casa de dois quartos.

“Acreditamos que sua segurança não deve ser uma questão de renda, mas sim um dado, quando você planeja comprar uma casa para sua família”, diz María Velasco, cofundadora da HiveCube.

As casas foram projetadas para serem totalmente desligadas da rede, com energia solar e baterias, um sistema de coleta de água da chuva e um sistema de tratamento de água cinza (qualquer água não-industrial, que foi usada em processos domésticos, como o banho ou lavar a louça e a roupa) e negra (a água descartada que possui matéria fecal e urina).

A empresa está trabalhando com um banco em opções de financiamento. Obter materiais também é um desafio, devido à quantidade de obras acontecendo em Porto Rico agora. Os designers da HiveCube venderam sua primeira casa para uma família na cidade de Vieques, que perdeu a casa durante o furacão, e ela deve ser entregue em meados de dezembro. O objetivo da empresa é vender cerca de 100 casas por mês por mês, enquanto também gera empregos locais.

Em Villalba, a Marvel Architects ainda está trabalhando nas etapas finais antes que a construção de sua comunidade protótipo possa começar em um área fornecida pelo governo da cidade. A ideia é que primeiro protótipo seja construído no primeiro trimestre de 2019. Os arquitetos estão adaptando o projeto para que ele possa estar no chão o mais rápido possível.

casas-sustentaveis-porto-rico-inovacao-social-inovasocial-02

___

Gostou do texto e quer fazer parte da nossa comunidade? Mande uma sugestão de pauta, um texto autoral ou críticas sobre o conteúdo para contato@inovasocial.com.br.

Receba conteúdo exclusivo

Para não perder os próximos conteúdos do InovaSocial e receber materiais exclusivo em seu e-mail, assine agora a nossa newsletter.
Insira o seu e-mail