Opções à base de plantas, redução de resíduos e mais: As metas ambientais da Starbucks para os próximos 10 anos

A Starbucks divulgou, na última terça-feira, suas metas ambientais, focadas em três objetivos principais de longo prazo para 2030: reduzir pela metade as emissões de carbono em suas operações e cadeia de suprimentos, conservar ou reabastecer metade da água usada nas operações e na produção de café, e reduzir pela metade os resíduos enviados pela empresa para aterros sanitários (tanto de lojas, quanto de manufaturas).

De acordo com uma carta divulgada por Kevin Johnson, CEO da rede de cafeterias com sede em Seattle (Washington, EUA), também há planos de adicionar mais opções de alimentos à base de plantas, iniciando assim o processo de “migração para um menu mais ecológico”, acompanhando o rápido aumento e popularização das alternativas de carne à base de plantas no mundo dos fast-foods.

Em 2018, a Starbucks anunciou seus planos de eliminar os canudos de plástico em suas lojas no mundo todo até 2020; e, além disso, seus novos objetivos de sustentabilidade também incluem a mudança da empresa para embalagens reutilizáveis.

Com a ajuda do World Wildlife Fund (WWF) e da Quantis, uma organização de consultoria em sustentabilidade, a Starbucks quantificou a pegada de carbono, resíduos e água em sua cadeia de suprimentos e operações em todo o mundo. Segundo Kevin Johnson, essa foi a primeira vez que a empresa realizou essa avaliação de pegada nas três áreas em todo o mundo. Essa visão forneceu à Starbucks um ponto de partida claro, que resultou nas novas estratégias ambientais.

Em sua carta, o CEO também ressaltou que este ano a empresa conduzirá pesquisas e estudos de mercado abrangentes para entender melhor o comportamento do consumidor e encontrar formas de incentivar o uso de embalagens reutilizáveis.

No passado, a Starbucks não chegou a cumprir algumas de suas metas ambientais. Segundo a Reuters, a empresa não conseguiu reutilizar 25% de seus copos até 2015, conforme planejado, e revisou a meta de servir 5 das bebidas vendidas em copos pessoais de clientes. Ainda assim, é importante ressaltar que outras metas importantes foram cumpridas, como o objetivo (estabelecido em 2008) de abastecer com energia renovável todas as lojas operadas pela empresa até 2015.

As metas ambientais da Starbucks para 2030 serão formalizadas em 2021, no 50º aniversário da empresa.


Para ler a carta de Kevin Johnson na íntegra (em inglês), clique aqui.


 

Receba conteúdo exclusivo

Para não perder os próximos conteúdos do InovaSocial e receber materiais exclusivo em seu e-mail, assine agora a nossa newsletter.
Insira o seu e-mail