Estação Hack: Como se inscrever no programa de aceleração de startups do Facebook

Neste mês, o Facebook iniciou o processo de seleção de startups de impacto social que abrigará gratuitamente na Estação Hack, seu primeiro centro para inovação no mundo, em São Paulo. Em parceria com a Artemisia, organização sem fins lucrativos pioneira no fomento de negócios de impacto social no Brasil, serão selecionadas até 10 startups de todo o país que usem dados intensivamente em suas soluções, e que tenham potencial de gerar transformações positivas à sociedade em larga escala.

O programa focará em negócios que já tenham protótipo em fase de testes de mercado, até startups com produtos já lançados que buscam rápido crescimento, e que apresentem soluções nos seguintes temas: empregabilidade, educação, segurança de dados, engajamento cívico, serviços financeiros (para inclusão ou educação financeira) e microempreendedorismo.

As startups selecionadas terão residência de seis meses na Estação Hack, com acesso à infraestrutura e ferramentas do Facebook. Também receberão mentoria de especialistas, apoio na formação do modelo de negócios e refinamento do impacto social com a metodologia Artemisia.

“Sabemos que a tecnologia pode transformar a vida das pessoas, mas nem sempre elas têm as ferramentas que precisam para desenvolver suas soluções. É isso o que vamos oferecer aos brasileiros no programa de aceleração da Estação Hack”, afirma o coordenador da Estação Hack, Eduardo Lopes.

Segundo a diretora-executiva da Artemisia, Maure Pessanha, “na metodologia de aceleração da Artemisia, os selecionados serão desafiados a formatar seus modelos de negócio e refinar o próprio impacto social. O objetivo é desenvolver os empreendedores em nível pessoal e profissional, para alcançarem o maior potencial de impacto possível.”

As inscrições para o programa de aceleração de startups vão até 29 de outubro e podem ser feitas pelo site da Artemisia (aqui).

O projeto, anunciado pelo Facebook no fim de agosto, abrigará, além da aceleração de startups, iniciativas como cursos gratuitos de programação para jovens e workshops sobre empreendedorismo e planejamento de carreira. Com a Estação Hack, que deverá ser aberta até o fim do ano, o Facebook busca colaborar para o desenvolvimento do ecossistema econômico e de tecnologia no Brasil, capacitando jovens de baixa renda em programação, ajudando na criação de novos negócios e fornecendo recursos para os pequenos e médios empresários crescerem usando a economia digital a seu favor.

Além do programa de aceleração de startups, serão oferecidas bolsas a mais de 7.400 jovens brasileiros por ano nas áreas de programação, planejamento de carreira e gestão de empresas. A Estação Hack abrigará ainda sessões dos programas de empreendedorismo e de marketing digital do próprio Facebook.

Receba conteúdo exclusivo

Para não perder os próximos conteúdos do InovaSocial e receber materiais exclusivo em seu e-mail, assine agora a nossa newsletter.
Insira o seu e-mail