Parceria entre SITAWI e Instituto Sabin possibilita linha de crédito com juros baixos para organizações de impacto socioambiental

A SITAWI Finanças do Bem, com o apoio do Instituto Sabin, lançou hoje uma Plataforma de Empréstimo Coletivo que permite que pessoas e organizações invistam diretamente em negócios de impacto socioambiental positivo. A iniciativa, que aumenta o acesso ao investimento de impacto no Brasil, tem expectativa de mobilizar R$2 milhões no primeiro semestre do ano, multiplicando o capital investido e o impacto positivo gerado.

“O investimento de impacto tem crescido em reconhecimento e em valor movimentado, mas ainda há grandes barreiras para que o investidor comum possa aplicar seu dinheiro com mais propósito. Do outro lado, estão os negócios de impacto, que necessitam de capital para crescer e seguir impactando positivamente o meio ambiente e a vida de milhares de pessoas”, comenta Andrea Resende, Gerente de Finanças Sociais da SITAWI.

Democratização do investimento de impacto

A SITAWI foi pioneira em empréstimo coletivo de impacto no Brasil e agora expande sua atuação para diminuir barreiras rumo à democratização do investimento de impacto no Brasil. A plataforma surgiu por meio de um esforço colaborativo para aumentar o capital para impacto e também o impacto do capital: de um lado a SITAWI, com os dez anos de experiência e histórico em investimento de impacto, e, do outro, o Instituto Sabin, com articulação e foco em inovação em finanças sociais. O aporte inicial do Instituto foi de R$ 500 mil, em uma estrutura de blended finance, onde o capital filantrópico é usado para subsidiar a operação, prover investimento âncora e atrair investidores de mercado.

Fabio Deboni, gerente executivo do Instituto Sabin, explica que a plataforma é semelhante à vaquinha coletiva, só que com um viés diferente: os recursos são captados como empréstimos, não como doações.

“Nosso objetivo é que o investimento do Instituto alavanque mais recursos de pessoas físicas e jurídicas”, diz Fabio.

Além de trazer recurso novo para organizações com poucas opções de empréstimo disponíveis, a plataforma visa consolidar o financiamento coletivo como instrumento financeiro de impacto. “Com essa iniciativa as organizações de impacto social terão oportunidade de obter empréstimos a uma taxa de juros razoável, o que não é possível atualmente nos bancos públicos e privados”, completa Fabio.

Nesse contexto, três negócios foram selecionados para participarem da 1ª Rodada de Empréstimo Coletivo:

COOPSERTÃO: A Cooperativa Ser do Sertão – COOPSERTÃO reúne produtores do ramo Agropecuário de Agricultura Familiar em Pintadas, no interior da Bahia. Fundada em 2008, tem como missão promover o fortalecimento da agricultura familiar por meio do cooperativismo, com práticas agroecológicas e profissionalização das unidades produtivas. A cooperativa foi uma iniciativa de mulheres da região, sendo ainda geria pela maioria do gênero feminino e tem participação relevante de produtoras mulheres na base de associados, Ao final do seu 2° ano de funcionamento, a organização escoava basicamente umbu e frutas típicas da região e transformando-os em geleias, doces e polpas, hoje, após 10 anos de existência, estão expandindo uma fábrica de polpa de frutas Todo o excedente da operação é redistribuído para a implementação de técnicas agrícolas agroecológicas com o intuito de possibilitar a produção durante todo o ano, sem que a seca interrompa o processo produtivo.

Orgânicos in Box: Fundada em 2014 no Rio de Janeiro, a organização nasceu da vontade de disponibilizar em uma única plataforma uma variedade de alimentos orgânicos certificados para consumidores a preços abaixo do comumente praticado neste segmento e, ao mesmo tempo, valorizando o pequeno produtor rural que passa a contar com uma fonte de escoamento confiável onde ele vende seus produtos a preços justos. A empresa tem como missão espalhar comida orgânica pela cidade do Rio de Janeiro e, para isso, apresenta uma plataforma de e-commerce de produtos orgânicos 100% certificados. Desde o início de sua operação, a Orgânicos já comercializou aproximadamente 300 toneladas de alimentos livres de agrotóxicos, crescendo atualmente a um ritmo de 10 toneladas por mês.

UPSaúde: A UPSaúde é uma empresa criada no Rio Grande do Norte em 2018 com o objetivo de melhorar diversos aspectos de comunicação da Saúde Pública, visando a diminuição de filas e promovendo fácil acesso à informação. Através de um aplicativo de inteligência de dados, a organização atende dores de todos os públicos da saúde pública, apresentando funcionalidades para médicos, gestores hospitalares e pacientes. Através de marcações de consultas online, disponibilização de relatórios gerenciais e do recurso da Telemedicina, já promoveu a redução em cerca de 38% das filas para atendimento, na média dos municípios que já contrataram o serviço.

A seleção das organizações nesta primeira rodada levou em consideração o crescimento do negócio, a sustentabilidade financeira, o impacto e a liderança. Para saber mais sobre os negócios e participar da 1° Rodada de Empréstimo Coletivo, clique aqui.

__

Gostou do texto e quer fazer parte da nossa comunidade? Envie uma sugestão de pauta, um texto autoral ou críticas sobre o conteúdo para contato@inovasocial.com.br.

Deixe uma resposta

Receba conteúdo exclusivo

Para não perder os próximos conteúdos do InovaSocial e receber materiais exclusivo em seu e-mail, assine agora a nossa newsletter.
Insira o seu e-mail