Conheça a cidade da Indonésia que está transformando garrafas de plástico em passagens de ônibus

Quando um rio em Bandung (cidade de Java, na Indonésia) ficou tão sufocado com lixo plástico no início deste ano a ponto de deixar a água praticamente invisível, o governo convocou o exército para limpá-lo. Foi uma solução temporária: a Indonésia tem um dos maiores problemas do mundo com resíduos de plástico, muitos dos quais acabam fluindo para o oceano. Surabaya (também de Java), a segunda maior cidade do país, está tentando uma abordagem diferente: se você reciclar garrafas de plástico, pode pegar uma carona em um ônibus da cidade.

Cinco garrafas de plástico, ou 10 copos de plástico, equivalem a uma passagem de ônibus de duas horas. Os passageiros podem deixar garrafas nos terminais ou pagar suas passagens diretamente com as garrafas; em um dia, um ônibus pode coletar até 250 kg de plástico, de acordo com um relatório da Reuters.

Essa é uma tentativa de incentivar mais pessoas a andarem de ônibus, em uma cidade onde 75% das viagens acontecem em carros, e um passo em direção à meta de eliminar o lixo plástico. Um estudo global publicado em 2015 descobriu que a Indonésia era responsável por enviar mais plástico para o oceano do que qualquer outro país que não a China. Em 2016, o governo introduziu um imposto sobre as sacolas plásticas; e em 2017, foram criados planos de ação nacionais para educação a respeito de resíduos plásticos e redução do consumo de plástico. Em 2018, quando o governo enviou soldados para limpar parte do plástico de Bandung, também fez parcerias com líderes religiosos islâmicos para que houvesse sermões pedindo que as pessoas reduzissem o lixo plástico.

Parte do problema causado pelo lixo plástico plástico da Indonésia vem de outros países: após a China ter dito que não queria ser um depósito de lixo para a reciclagem de plástico do mundo, alguns países começaram a enviar ainda mais lixo para a Indonésia – em abril, a Indonésia implementou regras mais rígidas para inspecionar as importações de reciclagem para ajudar a reduzir o volume. Como em outros países do Sudeste Asiático, o lixo também está crescendo internamente.

“As economias estão crescendo muito rapidamente, as populações estão crescendo, as pessoas estão consumindo mais, estão gerando mais desperdício e a infraestrutura não está acompanhando”, diz Susan Ruffo, diretora de iniciativas internacionais da Ocean Conservancy. que recentemente lançou uma aceleradora em Surabaya para incubar startups que trabalham para reduzir o problema dos resíduos plásticos.

Neste momento, catadores de lixo passam pelo lixo – em casas ou aterros sanitários – retirando qualquer item de valor. O país não tem programas governamentais para coleta e tudo é jogado em latas de lixo misturadas. Mas o novo programa envolvendo as caronas de ônibus aponta para um futuro envolvendo novos hábitos de reciclagem.

___

Gostou do texto e quer fazer parte da nossa comunidade? Envie uma sugestão de pauta, um texto autoral ou críticas sobre o conteúdo para contato@inovasocial.com.br.

Deixe uma resposta

Receba conteúdo exclusivo

Para não perder os próximos conteúdos do InovaSocial e receber materiais exclusivo em seu e-mail, assine agora a nossa newsletter.
Insira o seu e-mail