O impacto do uso de lâmpadas de LED na Índia

Quantas pessoas são necessárias para trocar uma lâmpada? E quantas pessoas precisam mudar para lâmpadas com baixo consumo de energia, a fim de reduzir a pegada de carbono de um país?

A Índia é o segundo país mais populoso do mundo, com mais de 1,3 bilhão de pessoas, e vem reduzindo as emissões de gases do efeito estufa no país, o que é um desafio considerável. Como parte de seus compromissos na Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima, a Índia planeja reduzir seus índices de pegada de carbono em 33 a 35% até 2030. E com o setor de energia sendo responsável por mais de 70% das emissões de GEE, a eficiência energética é crucial para as ambições ecológicas do Governo da Índia.

Hoje, essas ambições estão um passo mais perto da realidade, com o Banco Asiático de Desenvolvimento, a ONU Meio Ambiente e parceiros combinando forças no projeto Creating and Sustaining Markets for Energy Efficiency (Criando e Sustentando Mercados para Eficiência Energética, em português), uma iniciativa apoiada pelo Mecanismo de Desenvolvimento Limpo para fomentar novos mercados de produtos energeticamente eficientes, como as lâmpadas LED.

lampadas-led-india-energia-iluminacao-inovasocial-01
Raj Bairwa coloca uma nova lâmpada LED na casa de sua família no bairro de Keshay Puram, no norte de Deli. | Foto: UN Environment / Lisa Murray

O projeto está apoiando o empreendimento público-privado indiano Energy Efficiency Services Ltd para expandir o mercado de iluminação LED doméstica e pública, ao mesmo tempo em que fornece os conhecimentos necessários para pilotar novas tecnologias, como ventiladores de teto com eficiência energética, tecnologias de trigeração e medidores inteligentes.

Em uma rua em ruínas em Keshav Puram, no norte de Delhi, Raj e Mamta Bairwa foram os primeiros a adotarem uma iluminação mais eficiente. Dentro de sua vizinhança de baixa renda, cabos elétricos e canos de água se entrelaçam nos telhados e balançam sobre os quintais. Lá, o casal mora com seus seis filhos, de dois a doze anos. Eles usavam lâmpadas fluorescentes compactas em suas casas, mas descobriram que a qualidade da luz era fraca e a vida útil era curta. Assim que eles testaram as lâmpadas LED, não havia como voltar atrás.

“As lâmpadas anteriores costumavam aquecer muito o ambiente”, explica Mamta. “Mas esta [a lâmpada LED] é muito mais leve e mais fria, e o consumo de energia é relativamente baixo.”

A conta de energia mais baixa equivale a uma luz no fim do túnel para Mamta, uma vez que seu marido vem encontrando dificuldades para encontrar um trabalho estável e a renda da família vem sendo adquirida por meio de trabalhos pontuais.

“O preço das lâmpadas é menor e elas nos ajudam a reduzir nossas contas de luz. Costumávamos ter uma conta de energia de 500 rúpias e agora são 350 rúpias – economizando 150 a 200 rúpias por mês”, diz Mamta. Esse dinheiro adicional é agora direcionado para o sonho de ajudar suas filhas a se tornarem adultas financeiramente independentes e instruídas.

Mas por que famílias como a dos Bairwa começaram a usar lâmpadas que economizam energia?

Anteriormente, o custo das lâmpadas LED era o grande impeditivo: 400 rúpias cada. Com o apoio do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo, a Energy Efficiency Services Ltd foi capaz de alavancar sua demanda agregada, comprando as lâmpadas em grandes quantidades e reduzindo o custo para os consumidores a apenas 70 rúpias por lâmpada – tornando as lâmpadas de LED ainda mais baratas que lâmpadas fluorescentes – que são menos eficientes, menos ecológicas e menos rentáveis. O efeito colateral a nível industrial foi substancial. Reconhecendo um mercado em crescimento, os fabricantes aumentaram a produção de lâmpadas de LED, reduzindo ainda mais os preços.

lampadas-led-india-energia-iluminacao-inovasocial-02
Mamta e Raj Bairwa estão entusiasmados com a mudança para a iluminação LED: “O preço das lâmpadas é menor e elas nos ajudam a reduzir nossas contas de eletricidade” | Foto: UN Environment / Lisa Murray

Antes de a Energy Efficiency Services Ltd entrar no mercado, há quatro anos, as lâmpadas LED representavam apenas de 10 a 15% da iluminação indiana. Hoje, as lâmpadas de LEDs correspondem a 75% das vendas, contra apenas 15% das lâmpadas fluorescentes.

Até agora, a Energy Efficiency Services Ltd distribuiu mais de 300 milhões de lâmpadas LED, com o objetivo de substituir um total de 770 milhões de lâmpadas fluorescentes até março de 2019. Mas o projeto Creating and Sustaining Markets for Energy Efficiency vai muito além da iluminação doméstica. Ao desenvolver modelos de negócios viáveis, o projeto está fortalecendo os mercados para muitas outras tecnologias de eficiência energética que provocam uma mudança real no cenário. No geral, o projeto tem como objetivo gerar economia direta de 38,3 milhões de gigajoules até 2022 e 137,5 milhões de gigajoules até 2032 – o equivalente a 23,3 milhões de barris de petróleo, reduzindo a pegada de carbono da Índia ao equivalente a 60 milhões de toneladas de CO².

Outro elemento da parceria para desencadear bons resultados é o Street Light National Programme (Programa Nacional de Iluminação Pública, em português), lançado em janeiro de 2015. A Energy Efficiency Services Ltd substituiu a iluminação pública convencional por alternativas automatizadas de iluminação LED em 24 dos 29 estados da Índia e em três dos sete Territórios da União. Embora os custos deste reabastecimento tenham sido cobertos pela Energy Efficiency Services Ltd, a economia que cada município obtém com a redução do consumo de energia e a redução da necessidade de manutenção será usada para pagar o investimento ao longo do tempo.

Até agora, 6,35 milhões de postes de iluminação LED foram instalados, juntamente com sistemas automáticos para controlá-los. A nova iluminação não é apenas mais brilhante, tornando as ruas mais seguras para as mulheres que andam à noite, mas também economiza mais de 4 bilhões de kWh por ano, o que representa uma redução potencial de quase 3 milhões de toneladas nas emissões de CO².

Em um país que celebra a luz a cada ano com o Diwali – conhecido como o Festival das Luzes – é importante que sistemas de iluminação eficientes estejam se tornando mais baratos e acessíveis. Cobrindo o custo inicial de tecnologias com mais eficiência energética e reduzindo os riscos envolvidos na comprovação de sua viabilidade comercial, o projeto parece pronto para ter cada vez mais sucesso em fazer com que esses produtos se tornem mais acessíveis e comercializáveis para as empresas.

Para Mamta e Raj, é uma simples questão de dar aos filhos uma chance de um futuro melhor através de uma iluminação melhor.

“O mais importante é que as crianças possam estudar melhor,”diz Mamta. “A educação não pode ser comprometida com a luz de baixa qualidade.”

___

Gostou do texto e quer fazer parte da nossa comunidade? Envie uma sugestão de pauta, um texto autoral ou críticas sobre o conteúdo para contato@inovasocial.com.br.

Essa publicação foi produzida com base no texto Seeing the light: LEDs power India’s drive for household energy-efficiency, publicada pela UN Environment.

Receba conteúdo exclusivo

Para não perder os próximos conteúdos do InovaSocial e receber materiais exclusivo em seu e-mail, assine agora a nossa newsletter.
Insira o seu e-mail