Estudantes de medicina estão tendo aulas de observação artística. Entenda o motivo!

Admirar arte não é apenas um jeito prazeroso de passar o tempo, esse exercício também pode trazer benefícios reais para profissionais que estão longe do mundo da arte, de detetives a médicos.

Um novo estudo da faculdade de medicina da Universidade da Pensilvânia sugere que ter aulas de observação artística é uma prática que pode melhorar as habilidades de análise visual dos estudantes de medicina. E isso é muito importante porque a habilidade de ler e interpretar corretamente imagens como Raio-X e outros tipos de exames é algo vital no processo de definição de diagnósticos – algo que estudantes de medicina iniciantes não têm, uma vez que essa habilidade médica não é ensinada na Universidade.

O estudo, publicado pela Academia Americana de Oftalmologia, focou especificamente em estudantes de oftalmologia, já que essa é uma das áreas em que o profissional precisa da observação para examinar e diagnosticar seus pacientes. Para o estudo, 18 alunos do primeiro ano de medicina participaram das aulas, que aconteceram durante sessões de 6h30 no Museu de Arte da Filadélfia; enquanto outro grupo, composto por mais 18 estudantes do primeiro ano de medicina, não participou das sessões.

As aulas de observação incluíram temáticas como cor, formas, linhas e perspectiva. Os alunos dos dois grupos fizeram testes de observação antes e depois das aulas, onde eles foram convidados a descrever imagens artísticas, fotografias de retina e fotografias de rostos de pessoas que possuíam sinais de diferentes tipos de doenças oculares. Então, os alunos foram classificados pela qualidade geral de suas descrições, e também por observações médicas específicas que eram feitas.

Os pesquisadores descobriram que os alunos que tiveram as aulas apresentaram uma grande melhora na descrições de seu segundo teste. E os próprios estudantes perceberam essa melhora, imediatamente. Um deles disse aos pesquisadores: “Após a primeira sessão, eu me peguei ouvindo um radiologista discutir os mesmos princípios que nós usamos quando olhamos para arte, enquanto analisava uma tomografia.”

Já os estudantes que não participaram das aulas apresentaram, na verdade, um resultado pior em seu segundo teste. Na publicação, os pesquisadores registraram que não conseguiram descobrir o motivo pelo qual isso aconteceu, mas ousaram sugerir que o currículo da faculdade de medicina pode realmente prejudicar o desenvolvimento de habilidades de observação no início do curso, devido ao foco estrito na biologia.

Outra pesquisa mostram evidências de que outros tipos de treinamento visual – como encontrar objetos escondidos ou analisar ilusões de ótica — também podem melhorar as habilidades visuais dos estudantes de medicina.

E usar a arte como ferramenta para melhorar a observação não é apenas aplicável no campo da medicina. Amy Herman, especialista em percepção visual, levou policiais ao Museu Metropolitano de Arte (Nova York, EUA) para ensiná-los a visualizar um cenário de forma objetiva.

Com isso, o estudo feito pela Universidade da Pensilvânia serve como apoio ao trabalho de Amy, mostrando que a arte pode realmente ajudar pessoas a avaliar e analisar melhor uma informação visual complexa. E isso também traz uma importante lição para todos nós: o poder da observação pode ser uma habilidade extremamente necessária em nosso mundo que é esmagadoramente visual. Podendo até salvar vidas.

___

Gostou do texto e quer fazer parte da nossa comunidade? Envie uma sugestão de pauta, um texto autoral ou críticas sobre o conteúdo para contato@inovasocial.com.br

Receba conteúdo exclusivo

Para não perder os próximos conteúdos do InovaSocial e receber materiais exclusivo em seu e-mail, assine agora a nossa newsletter.
Insira o seu e-mail