Ceará receberá primeiro protótipo real de cidade inteligente

O InovaSocial costuma falar muito sobre cidade inteligente e mobilidade urbana, mas existe um motivo plausível para isso, a moradia é um dos pontos centrais do universo da inovação social. Infelizmente muita gente ainda acha que este tipo de inovação precisa ser algo caro para o consumidor final. Foi exatamente isso que nos chamou atenção no projeto Smart City Laguna.

Croatá, localizada em São Gonçalo do Amarante (cerca de 50 km da capital Fortaleza), a região cearense está vendo uma cidade inteligente nascer do zero. O projeto, liderado pelas italianas Planeta Idea e SocialFare, com apoio do Centro de Empreendedorismo da Universidade de Tel Aviv, será o primeiro protótipo real de cidade inteligente para população de baixa renda.

Além disso, a região será dividida em três lotes: lote residencial (com valores a partir de 25 mil reais, pagos em até 120 vezes e corrigidos pelo INCC), o polo comercial (com valores a partir de 38 mil reais e também pagos em até 12 vezes) e a área industrial, que contempla a Ferrovia Transnordestina e o Porto de Pecém. Aliás, a região industrial é um dos pontos decisivos na escolha de Croatá. O Complexo Industrial e Portuário do Pecém deve virar o segundo porto em movimentação de cargas até 2025, ficando atrás apenas do Porto de Santos.

Baseada em quatro pilares: arquitetura, inclusão social, meio ambiente e tecnologia, o projeto terá 150 casas disponíveis na primeira fase do projeto. Todas elas contarão com tecnologia de ponta, que serão aplicados no reaproveitamento da água, energia solar e eólica, coleta inteligente de resíduos e wi-fi gratuito em toda região.

A cidade também contará com hortas compartilhadas e sistema de irrigação com base na previsão do tempo, desenvolvido pela israelense GreenIQ. Segundo a empresa, o sistema economiza até 50% de água.

Outro item bem interessante é a questão de mobilidade urbana. A cidade contará com bicicletas compartilhadas, sensores para estacionamento (segundo o empreendimento, 20% do tráfego é gerado pela procura de estacionamento), vídeo-vigilância e sensores acústicos, e controle computadorizado da iluminação pública (feita por luzes de LED) e poste com painéis fotovoltaicos na avenida central. Tudo isso monitorado e controlado via um aplicativo para smartphone. O projeto deve ficar pronto no final de 2017 e, temos que concordar, se tudo for entregue como prometido, Laguna será a cidade dos sonhos.

___
Gostou do texto e quer fazer parte da nossa comunidade? Mande uma sugestão de pauta, um texto autoral ou críticas sobre o conteúdo para contato@inovasocial.com.br

Receba conteúdo exclusivo

Para não perder os próximos conteúdos do InovaSocial e receber materiais exclusivo em seu e-mail, assine agora a nossa newsletter.
Insira o seu e-mail