WeGrow: a escola do futuro da WeWork

wegrow-escola-futuro-we-work-inovasocial-inovacao-social-02

O período de volta às aulas está logo aí e esse é um período em que pais e mães muitas vezes param para refletir e se perguntar se é possível que a educação como conhecemos hoje possa ser reinventada. A resposta para essa pergunta é: sim. Hoje, sabemos que existem diversos tipos diferentes de linhas pedagógicas (Montessoriana, Construtivista, Waldorf e afins) e a verdade é que o leque não para de se ampiar.

Recentemente, a WeWork – que começou como uma empresa de espaços de coworking –, também deu um passo para dentro da área educacional e criou a WeGrow, uma escola desenvolvida para fazer com que o aprendizado seja uma experiência holística.

wegrow-escola-futuro-we-work-inovasocial-inovacao-social-07

Construída em parceria com o arquiteto dinamarquês Bjarke Ingels Group (o próprio Bjarke Ingels juntou-se à WeWork como arquiteto-chefe no início de 2018), a escola de mais de 30.000m2 está localizada em Manhattan e admite crianças dos 3 aos 9 anos de idade – mas o objetivo é abrir novas turmas gradativamente, até o Ensino Médio.

O currículo foi criado com base na linha Montessoriana e têm 6 pilares de desenvolvimento: mente, corpo, alma, consciência, arte e natureza A criatividade é a base da WeGrow, um traço que a WeWork e a BIG acreditam ser algo fundamental para o desenvolvimento de uma criança.

Com o objetivo de para incentivar e estimular a criatividade, as duas empresas reavaliaram o cenário da aprendizagem a partir da perspectiva de uma criança. Pensando nisso, os espaços educativos são modulares, para apoiar a espontaneidade da imaginação, e incluem uma série de áreas em formatos desenvolvidos com o objetivo de estimular o movimento, a diversão, o pensamento e a leitura.

wegrow-escola-futuro-we-work-inovasocial-inovacao-social-06

wegrow-escola-futuro-we-work-inovasocial-inovacao-social-08

A escola está localizada no mesmo prédio da sede da WeWork, e isso se reflete em sua frente educacional. Salas de aula, oficinas flexíveis, um estúdio multifuncional, estúdio de arte e sala de música compõem um espaço central comunitário, que reúne dois espaços de aprendizagem e um espaço de estudo e foco. Nessa área, prateleiras em formato de cogumelos são niveladas para cada faixa etária e as mesas e cadeiras vêm em tamanhos para crianças e adultos, dividindo a hierarquia de idade entre crianças, professores e pais.

Também foi construído um jardim vertical, para estimular o contato com a natureza. Sem dúvidas, a composição visual da WeGrow é algo inspirador. Tem como não se sentir inspirado em um ambiente assim?

Mas, como nem tudo é perfeito, talvez o preço não seja algo tão inspirador assim. O custo anual para os alunos pode chegar a US$ 36 mil ao ano – lembrando que estamos falando do ensino de crianças de 3 a 9 anos. Em caráter de comparação, um ano de estudos na Universidade de Harvard custa cerca de US$ 45 mil. Não há como negar que modelos como a WeGrow são o que chamamos de “a escola do futuro”, mas , considerando isso, fica a pergunta: será possível fazer com que a escola do futuro seja inovadora e acessível ao mesmo tempo?

__

Gostou do texto e quer fazer parte da nossa comunidade? Mande uma sugestão de pauta, um texto autoral ou críticas sobre o conteúdo para contato@inovasocial.com.br.

Receba conteúdo exclusivo

Para não perder os próximos conteúdos do InovaSocial e receber materiais exclusivo em seu e-mail, assine agora a nossa newsletter.
Insira o seu e-mail