The Intern: O que diferentes gerações podem aprender entre si no escritório?

Após a morte de sua esposa, o aposentado de 70 anos Ben Whittaker se encontra com muito tempo em suas mãos. Então, quando ele vê um anúncio buscando estagiários “mais velhos”, ele decide se inscrever. Com anos de experiência gerencial, consegue um estágio trabalhando para fundadora de uma startup de moda, Jules Ostin.

the-intern-geracoes-trabalho-inovacao-social-inovasocial-01

Essa é a premissa do filme “The Intern” (no Brasil, “Um Senhor Estagiário”), estrelado por Robert De Niro e Anne Hathaway. Embora seja uma comédia leve lançada em 2015, “The Intern” é surpreendentemente relevante principalmente em 2019, já que, pela primeira vez na história, cinco gerações estão trabalhando juntas em escritórios mundo afora.

Como o filme ilustra, uma força de trabalho diversificada pode apresentar alguns desafios. Inicialmente, Jules não liga muito para seu estagiário mais velho. No entanto, com o passar do tempo, tanto o estagiário quanto a gerente descobrem o quanto podem aprender um com o outro. A moral da história? Quando o respeito mútuo e a mente aberta são princípios orientadores, todas as pessoas e todos negócios saem ganhando.

O que as gerações mais velhas podem ensinar às gerações mais jovens no local de trabalho?

Sabedoria

O valor da mentoria no local de trabalho é algo que vem sendo cada vez mais discutido. Quando funcionários mais velhos compartilham suas experiências, colegas de trabalho mais jovens obtêm insights valiosos para ajudá-los em suas carreiras. Em “The Intern”, Ben Whittaker dá conselhos aos colegas de escritório sobre os mais diversos assuntos, desde profissionalismo, eficiência, código de vestimenta, relacionamento interpessoal e marketing.

Empregados mais antigos já estiveram no mesmo lugar que os mais novos. Seus anos no local de trabalho deram a eles uma compreensão do que é esperado e como seu trabalho afeta os outros. Os funcionários mais velhos podem ser mais confiantes em seus conhecimentos e trazem estabilidade ao local de trabalho, atuando como modelos e mentores para os funcionários mais jovens.

Autoconsciência

Anos de experiência proporcionaram aos funcionários mais experientes o conhecimento de seus próprios pontos fortes e fracos, algo que alguns líderes acreditam ser a qualidade mais importante necessária para o sucesso profissional.

Independentemente da sua profissão ou indústria, o sucesso de sua carreira depende da sua capacidade de liderar, gerenciar e conviver com seus colegas. Executar isso requer habilidades interpessoais excepcionais, cuja base é muito pessoal. A autoconsciência é a base para desenvolver essa competência crítica.

Leveza

No filme, Jules Ostin se aproxima de Ben Whittaker quando enfrenta crises e grandes decisões em sua vida pessoal e profissional. De forma tranquila e sábia, Ben fornece a Jules o conselho e o apoio de que ela precisa para enfrentar os desafios significativos que enfrenta. Os funcionários mais velhos também passaram por crises pessoais e profissionais. Eles estão preparados para lidar com tempos difíceis; viram reformulações, recessões e tendências de mercado irem e virem e, geralmente, têm uma visão ampla quando se trata de lidar com mudanças e desafios profissionais.

Conhecimento Institucional

Nas gerações anteriores, era comum os funcionários permanecerem em uma empresa por décadas. Em alguns casos, as pessoas passavam a carreira inteira trabalhando para a mesma empresa. Empregados de longa data possuem conhecimento inestimável da história, tradições e procedimentos da empresa onde trabalham. Quando eles se aposentam, é essencial que as organizações encontrem maneiras de transferir seus conhecimentos para os colaboradores mais jovens. As empresas com visão de futuro estão formalizando programas como a aposentadoria em fases e promovendo a criação de bases de conhecimento compartilhadas, de modo que quando os funcionários efetivos se aposentam, eles não levam todo o conhecimento com eles.

Diplomacia

Boas políticas são importantes, e não apenas em anos eleitorais. Embora os jovens funcionários possam ter o conhecimento necessário para realizar o trabalho, eles podem não ser tão habilidosos quanto os mais velhos quando se trata de entender a dinâmica interpessoal e engajar colegas e empregadores. Saber quando e como se comunicar evolui através de anos de experiência, os colaboradores mais velhos entendem a política do local de trabalho e sabem como transmitir diplomaticamente suas ideias aos líderes.

Mas a força de trabalho multigeracional não é uma via de mão única. Há muito o que podemos aprender com aqueles que recentemente entraram no mercado de trabalho.

O que as gerações mais jovens podem ensinar às gerações mais velhas no local de trabalho:

Habilidade Tecnológica

De modo geral, quanto mais jovem o funcionário, mais experiente em termos digitais ele pode ser. Esta é uma área onde pessoas mais jovens podem orientar os mais velhos. Por exemplo, quando Ben Whittaker se senta pela primeira fez em frente ao seu computador, ele não sabe nem como iniciá-lo. Sem constrangê-lo, o jovem colega sentado ao seu lado mostra a ele que basta um único toque de tecla. Uma vez que Ben aprende como fazer isso, ele parte para o trabalho.

Hoje, muitos colaboradores mais velhos usam o Facebook e o WhatsApp, mas a maioria não é tão experiente em outras ferramentas de redes sociais, como o LinkedIn e o Twitter. Os funcionários mais jovens podem ensinar aos colegas mais velhos como essas ferramentas podem beneficiá-los em suas carreiras, conectando-os a outros profissionais e oferecendo oportunidades para mostrar a amplitude de sua experiência.

Novas Ideias

Os funcionários mais jovens podem abordar projetos de maneiras inovadoras e atuais que os colegas mais velhos podem não ter considerado. Sua expertise tecnológica também pode ajudar as empresas a funcionarem com mais eficiência. Os millennials e a Geração Z sempre viveram no mundo moderno e são menos propensos a serem limitados por tradições ineficazes e falsas suposições sobre o que o trabalho deveria ser. Eles estão focados em imaginar como trabalho poderia ser. Os funcionários mais antigos podem aprender muito com os colegas mais novos sobre o que é possível para o trabalho no futuro.

Pensamento Expansivo

Os colaboradores mais jovens têm diferentes expectativas em relação ao trabalho e suas carreiras. Enquanto as gerações mais antigas valorizam a estabilidade e a lealdade às empresas, os trabalhadores mais jovens podem esperar mais de seus empregadores e podem correr riscos e fazer movimentos de carreira que sejam de seu interesse. Eles podem servir como modelos para os colegas mais velhos, que podem estar deixando de buscar oportunidades recompensadoras.

Vida Profissional em Harmonia

Uma diferença entre as gerações mais novas e as gerações mais velhas é a prioridade que os funcionários mais jovens dão ao equilíbrio entre vida profissional e vida pessoal. Na verdade, esses jovens adultos não estão realmente interessados nas regras e nas jornadas de trabalho das carreiras de seus pais. Os trabalhadores mais velhos podem se beneficiar muito de modificações no local de trabalho, como horários flexíveis, programas de bem-estar, home office e trabalho compartilhado.

Sonhos

Os millennials e a Geração Z valorizam muito o trabalho para empresas que se esforçam para melhorar suas comunidades. Eles estão interessados não apenas em fazer contribuições positivas no trabalho, mas também estão motivados a fazer a diferença em suas comunidades. O impacto social que uma empresa gera pode ser um grande diferencial no momento em que as gerações mais jovens estão procurando um emprego ou aceitando uma proposta; o que resulta em uma mudança na cultura empresarial como um todo.

Hoje, o número de locais de trabalho multigeracionais continuará a se expandir à medida que as pessoas viverem mais, a aposentadoria demorar mais para chegar e os conjuntos de habilidades dos funcionários iniciantes continuarem a evoluir. Se podemos tirar algum aprendizado ao assistir a “The Intern” é que nunca estamos velhos demais para aprender, nunca somos jovens demais para ensinar – e vice-versa.

Você pode conferir nossa indicação no Prime Video e no YouTube Filmes. Assista ao trailer:

__

Gostou do texto e quer fazer parte da nossa comunidade? Envie uma sugestão de pauta, um texto autoral ou críticas sobre o conteúdo para contato@inovasocial.com.br.

 

Receba conteúdo exclusivo

Para não perder os próximos conteúdos do InovaSocial e receber materiais exclusivo em seu e-mail, assine agora a nossa newsletter.
Insira o seu e-mail