Ambiente de trabalho: características que são consideradas fraquezas, mas são grandes qualidades

Recentemente, enquanto assistia a uma série de TV, vi uma cena em que a namorada de um personagem havia sido brutalmente assassinada e, algumas semanas após sofrer tamanha perda, o chefe desse personagem comentou sobre sua aparência levemente descuidada, dizendo “Eu não sei o que está acontecendo na sua vida pessoal, mas está afetando seu local de trabalho. A aparência é importante.”

Esse é o tipo de abordagem que eu esperaria da definição de “líder” com a qual eu me acostumei: faça seu trabalho, deixe o resto de lado. Os comandos e ordens desse tipo de líder precisam ser ouvidos atentamente e respeitados, eles sempre têm sucesso em suas tacadas, são notáveis e não toleram qualquer besteira. Esses atributos, como eu imagino que você já tenha percebido na história cultural do mundo, são tradicionalmente características masculinas. São palavras de dominação, presença e poder. E eu acreditei por muito tempo que, para estar no poder, eu precisava estar dentro dessa específica definição dada a pessoas poderosas.

michelle-obama-bossy-confident-inovasocial

Mas, para minha satisfação e tranquilidade, eu vivo em um momento em que mais mulheres estão conquistando posições mais altas em escritórios de diversas áreas. E, apesar de ser um progresso que está acontecendo em pequenos passos – mas na direção certa, o que é mais importante – elas estão assumindo lideranças e sendo vistas. Essas mulheres estão mostrando que elas também impõem respeito e não caem em conversa fiada. Elas também são líderes e não apenas mandonas.

Inclusive, este é um exercício muito importante para se fazer na hora de reconhecer como algumas palavras podem mudar totalmente a imagem de uma determinada pessoa, e como palavras diferentes com significados diferentes muitas vezes são usadas para definir homens e mulheres que estão fazendo exatamente a mesma coisa – e isso conta muito quando falamos de ambiente de trabalho e mulheres em cargos de liderança. Enquanto mulheres são mandonas, homens são líderes; mulheres são agressivas e homens são persistentes; mulheres são sabichonas, homens são competentes. Isso parece tão pequeno, não é mesmo? É só uma palavra, mas carregada de sentido por trás dela. E precisamos usar as mesmas palavras para ações de homens e mulheres, dentro ou fora do ambiente de trabalho.

Mas eis o meu problema atual: posições de liderança ainda louvam a “masculinidade”, e eu não consigo encontrar espaço para “feminilidade”. As características que giram em torno de conexões e cuidados emocionais não são apenas esquecidas no ambiente de trabalho, como são consideradas formas de fraqueza.

Quer saber da novidade? Elas não são fraquezas. Essas características são muito poderosas e está na hora de você aceitar o poder e a importância de cada uma delas. Muitas vezes, dias ruins, términos de relacionamentos e problemas financeiros não conseguem simplesmente esperar do lado de fora do escritório. Existem muitos estudos falando sobre a importância da empatia e de competências emocionais no ambiente de trabalho, e como é importante a capacidade de reconhecer, validar e dar suporte para as emoções de seus funcionários e membros da sua equipe – tanto as que giram em torno de um fracasso, quanto de um sucesso.

Muitas vezes, mulheres acreditam que precisam ser masculinas para estar em uma posição de liderança. Mas nós não precisamos fazer isso. Nós, como mulheres, podemos estar no poder do que quisermos e sermos o que quisermos – Yael Grobglas, atriz israelense.

Eu acredito firmemente no fato de que todas as pessoas querem ser notadas e amadas; claro, não por todos na mesma intensidade, mas sim partindo do princípio de que todos nós queremos ser aceitos e apoiados. E essas formas de se relacionar com outros seres humanos são sempre muito mais destacadas como características femininas: empatia, vulnerabilidade, paciência, compaixão. Na verdade, não apenas mulheres deveriam ser atreladas a esses pontos, mas sim todas as pessoas que compartilham seus dias e suas horas de trabalho com outras pessoas. Bons líderes usam esses traços em seus ambientes de trabalho e tratam seu time como pessoas em primeiro lugar, ao invés de “produtores de algo”.

Empatia

Um bom líder é empático e reconhece que cada membro de sua equipe vem de um contexto único e esse contexto é importante. Sua perspectiva e visão de mundo refletem em como eles trabalham e em seu trabalho. Um bom líder tomará tempo para não só entender sua perspectiva, mas fazer com que cada pessoa sinta que sua perspectiva é compreendida. Para isso, a escuta ativa é muito importante: mantenha contato visual e linguagem corporal positiva, faça perguntas abertas sobre experiências ou problemas potenciais, guarde o julgamento sobre o que eles dizem e responda o que você está ouvindo diretamente.

Sensibilidade

Um bom líder não só sabe como ser empático, mas sabe quando usar essa empatia. A sensibilidade é a capacidade de estar em sintonia com a situação emocional das pessoas ao seu redor. Quando você se depara com um amigo e pode simplesmente dizer que algo está errado, isso é sensibilidade. Quando um membros de uma equipe entra em uma reunião parecendo distraído ou chateado, verifique pessoalmente com ele o que está acontecendo (ou pergunte a outro membro da equipe que o conhece bem), reconhecer a sua situação emocional de um membro de seu time fará com que essa pessoa se sinta cuidada, se sinta um ser humano e não apenas um numero. Embora você não consiga fazer nada para ajudar, você pode, pelo menos, ajustar suas expectativas de acordo com o momento delicado. Esperar que as pessoas façam o trabalho emocional extra de lutar contra a realidade de suas emoções o dia todo é, na minha opinião, um desejo injusto.

Vulnerabilidade

Se você é um líder que só quer saber de vencer, vencer e vencer – não importa o que – sua equipe vai ter dificuldades para lidar com fracassos. Se você puder ser um pouco mais transparente, aceitar e ser honesto sobre seus próprios erros e dias ruins, os membros da sua equipe se sentirão muito mais confortáveis fazendo o mesmo. Você quer uma equipe de pessoas que se sintam confortáveis em seus espaços de trabalho e sinta que eles são seguros com si mesmos – ganhando ou perdendo.

Amor

Um bom líder precisa dar um passo além de criar apenas um espaço onde sua equipe se sinta confortável, mas um espaço onde sua equipe possa prosperar. A palavra amor pode até ser considerada um tabu no ambiente de trabalho, mas eu realmente a vejo como uma maneira de garantir que seu time saiba que você se importa com eles como pessoas únicas. Nem todos recebem feedback ou incentivo da mesma maneira. Um dos seus funcionários pode se sentir compreendido e encorajado através da afirmação pública, enquanto outro empregado pode desmoronar quando colocado em destaque; ele ou ela pode responder melhor a uma conversa individual, onde eles sabem que eles têm toda a sua atenção e consideração. Quando seu interesse é que as pessoas de seu time sempre possam ir além do que elas imaginam que conseguem, mostre que você as valoriza, e isso fará com que essas pessoas – que não são apenas produtores – alcancem cada vez mais os objetivos da equipe e, claro, os seus objetivos como líder.

boss-confident-the-intern-inovasocial

___

Gostou do texto e quer fazer parte da nossa comunidade? Envie uma sugestão de pauta, um texto autoral ou críticas sobre o conteúdo para contato@inovasocial.com.br

Receba conteúdo exclusivo

Para não perder os próximos conteúdos do InovaSocial e receber materiais exclusivo em seu e-mail, assine agora a nossa newsletter.
Insira o seu e-mail